A livraria Lello foi eleita a terceira mais bela do mundo pela Lonely Planet

Foto
Para a editora Lonely Planet, a escadaria da Lello faz lembrar "uma flor exótica" NELSON GARRIDO

Guia australiano considera-a "uma pérola de arte nova", no seu top ten de locais a visitar em 2011. Destaca "as prateleiras neogóticas", a decoração e a sua "escadaria vermelha em espiral"

A livraria centenária portuense Lello foi classificada pela Lonely Planet como a terceira mais bela e digna de visita do mundo [The greatest bookshop], no guia que esta editora fundada na Austrália acaba de lançar para o próximo ano. Numa listagem em que faz o top ten dos países, regiões e cidades a visitar em 2011, a Lonely Planet coloca a livraria situada na Rua das Carmelitas, no Porto, na terceira posição, depois da City Lights Books, em São Francisco, nos Estados Unidos, e da El Ateneo Grand Splendid, em Buenos Aires.

No guia Lonely Planet"s Best in Travel 2011, a editora classifica a Lello, fundada em 1906, como "uma pérola de arte nova", que se mantém como uma das livrarias - e talvez mesmo uma das lojas - "mais espantosas do mundo".

Na descrição que faz do seu interior, destaca "as prateleiras neogóticas" que fazem mesmo concorrência aos livros na atenção dos visitantes, mas também a decoração nas paredes com os bustos esculpidos de escritores portugueses, além, claro, da "escadaria vermelha em espiral" que leva os clientes até ao primeiro andar e que parece "uma flor exótica". O trilho e o carrinho para o transporte dos livros e a pequena cafetaria no primeiro andar, de onde se vê a luz do dia filtrada por coloridos vitrais, são outras notas deixadas aos leitores deste que se tornou já num dos mais populares guias de viagem em todo o mundo.

Esta classificação da Lello repete aquela que a loja portuense já tinha conquistado em Janeiro de 2008, quando o diário britânico The Guardian também a considerou como a terceira mais bela livraria do mundo, igualmente a seguir à Ateneo da capital argentina, que ocupa o lugar de um antigo teatro - dessa vez, em primeiro lugar, surgia a livraria holandesa em Maastricht, Boekhandel Selexyz Dominicanen, instalada numa antiga igreja.

O actual edifício da Livraria Lello, que foi desenhado de raiz para ser uma livraria pelo engenheiro Francisco Xavier Esteves, já tinha também sido considerado pelo escritor catalão Enrique Vila-Matas como "a mais bonita livraria do mundo".

No top ten agora divulgado pela Lonely Planet, logo após a Lello surge a Shakespeare & Company, em Paris, seguindo-se a Daunt Books, em Londres, a Another Country, em Berlim, a The Bookworm, em Pequim, a já citada Selexyz Dominicanen, em Maastricht, a Bookàbar, em Roma, e, na décima posição, a Atlantis Books, em Santorini, na Grécia.