Shortcutz também está no Porto para fazer uma grande carreira com as curtas-metragens

Foto
Um Copo de Leite dr

Este festival atípico, com sessões semanais, começou em Janeiro, em Lisboa, e chegou ao Porto no mês passado. Londres também já aderiu ao conceito

Todas as quartas-feiras à noite, o Hard Club transforma-se em sala de cinema para as curtas-metragens do projecto Shortcutz que, desde Outubro, promove no Porto o cinema alternativo nacional.

O movimento começou em Lisboa, em Janeiro deste ano, e chegou no mês passado à cidade do Porto que, segundo a directora de programação local, Luísa Sequeira, há muito sentia a necessidade de um espaço dedicado às "curtas": "Fazia falta um sítio para apresentar curtas-metragens no Porto, um movimento que colmatasse uma lacuna existente numa cidade com um público apreciador deste tipo de filmes", disse a programadora à Lusa.

O Shortcutz é essencialmente uma oportunidade de mostrar vários tipos de curtas - das mais conhecidas, passando pelo experimental, tudo pode fazer parte da programação, sendo que a escolha dos trabalhos aposta justamente na diversidade. "Se tivermos uma curta de animação, uma documental e outra de ficção, é a situação ideal", explicou Luísa Sequeira.

As sessões semanais incluem três curtas-metragens, sendo uma a convidada e as outras duas (tendencialmente primeiras obras) concorrentes na competição para a "melhor curta do mês". Em cada sessão, depois das projecções, realizam-se tertúlias em que participam elementos da equipa criadora, sempre num ambiente informal e familiar que é uma das principais características do projecto.

O sucesso do Shortcutz já ultrapassou as fronteiras nacionais. No mesmo mês em que este festival atípico chegou ao Porto, estreou-se também em Londres, no pub Proud Camden, pela mão de um estrangeiro que, numa das sessões em Lisboa, mostrou interesse em levar o projecto para a capital britânica e contactou a organização. "No futuro, a ideia é expandirmo-nos para sítios como Los Angeles e Berlim e criar uma rede", afirmou Sandra Almeida, uma das organizadoras do projecto, ao jornal i no mês passado.

A melhor curta de Outubro no Porto foi Vicky and Sam, de Nuno Rocha. Para este mês, está confirmado Tiago Pereira como um dos convidados, autor do documentário B Fachada, Tradição Oral Contemporânea.