Matosinhos Centro Álvaro Siza é o "berço" da Casa da Arquitectura

Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria

Mais de dezena e meia de arquitectos portugueses, de várias proveniências e gerações, e - a surpresa do dia - o brasileiro Paulo Mendes da Rocha (autor do projecto do novo Museu dos Coches em Lisboa) assinaram ontem, ao final da tarde, em Matosinhos, protocolos de doação de acervos das suas obras à futura Casa da Arquitectura. A cerimónia foi feita coincidir com a inauguração do Centro de Documentação Álvaro Siza e também com o dia de aniversário do arquitecto, que nascera ali perto, em 1933, e viveu depois grande parte da sua juventude nesta casa na Rua de Roberto Ivens. Foi por essa razão que o arquitecto Gonçalo Byrne, falando em nome dos seus colegas de profissão, disse que este "acto fundador" da Casa da Arquitectura estava a realizar--se em "solo sagrado", facto que viu como "bom augúrio" para a concretização do projecto.
Na ocasião, Álvaro Siza assinou com o presidente da Câmara de Matosinhos (e da Fundação Casa da Arquitectura), Guilherme Pinto, outro protocolo destinado a fazer avançar para a fase da especialidade o seu projecto do novo edifício, a instalar junto ao porto de Leixões. E, por entre declarações de "emoção, nostalgia e alegria" por ver preservada a casa onde passara "tão bons momentos familiares", Siza prometeu desenhar o projecto "o mais rapidamente possível" - "apesar de ter a fama de ser lento, e da qual não irei já livrar-me", acrescentou.
Guilherme Pinto prometeu o lançamento da primeira pedra para daqui a dois anos. Para isso, disse esperar pelos fundos do QREN, e desafiou o Governo a ver no apoio à construção da Casa da Arquitectura "um acto de cultura mas também de pura estratégia económica". O ministro da Cultura, José António Pinto Ribeiro, elogiou o poder autárquico, os arquitectos em geral e Álvaro Siza em particular - "um génio que cria com paixão e deixa a sua marca de beleza no mundo", que o Governo decidiu agora homenagear atribuindo-
-lhe a Medalha de Mérito Cultural. Mas sobre o apoio à Casa da Arquitectura disse nada. Sérgio C. Andrade
Portugal vai contar, a partir de segunda-feira, com um Sistema de Alerta de Rapto de Crianças, que permitirá recolher imediatamente após o crime os elementos susceptíveis de ajudar à localização do menor, segundo anunciou ontem o ministro da Justiça. O sistema será aplicado após a assinatura de um protocolo, o qual associa as autoridades judiciárias e policiais a dezenas de entidades públicas e privadas, as quais ficam aptas a difundir a mensagem de alerta de rapto. O sistema, de acordo com Alberto Costa, é compatível com outros existentes na Europa.
O Ministério da Educação divulgou ontem o calendário escolar para o próximo ano lectivo: as aulas começam entre 10 e 15 de Setembro em todas as escolas do ensino básico e secundário. E as férias do Natal têm início a 19 de Dezembro e prolongam-se até 3 de Janeiro. Depois do Natal, os alunos voltam a ficar em casa entre os dias 15 e 17 de Fevereiro e entre 27 de Março e 11 de Abril. O final do ano tem datas distintas para alunos de diferentes anos. Nos 9.º, 11.º e 12.º anos, as aulas terminam a partir de 8 de Junho. Para os restantes anos de escolaridade, o ano lectivo acaba a partir de 18 de Junho.
O bioquímico Ruy Eugénio Pinto, pioneiro da Bioquímica em Portugal, morreu ontem em Lisboa. Tinha 84 anos e morreu após doença prolongada. Há cerca de 50 anos, o bioquímico descobriu que a oxidação do glutationo em sistemas biológicos é um processo enzimático. O corpo de Ruy Eugénio Pinto, que exercia as funções de director científico do Instituto Rocha Cabral, e que durante 35 anos foi um membro activo do PCP, esteve ontem em câmara-ardente na Igreja do Campo Grande, realizando-se o funeral hoje de manhã, para o Cemitério de São Domingos de Rana, Carcavelos.
O Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre Brasil e Portugal "está em xeque", advertiram ontem procuradores do Ministério Público do Trabalho brasileiro, que estão a investigar casos de alegada exploração de trabalhadores brasileiros em Portugal e Espanha. Os magistrados põem também em causa o princípio da reciprocidade entre os dois países, "devido ao surgimento de novas normativas da União Europeia que corroboram a política restritiva da imigração", o que o Ministério da Administração Interna nega.
O CDS-PP apresentou ontem no Parlamento um projecto de lei que torna obrigatória uma audição prévia ao funcionário nomeado pelo Governo para gerir o Proder (Programa de Desenvolvimento Rural). Para os centristas, seria essencial que essa regra já fosse válida para o substituto de Carlos Guerra, que saiu do cargo depois de ter sido constituído arguido no caso Freeport. "Estamos a falar de pessoas que lidam com milhões e milhões", justifica o deputado Pedro Mota Soares, voltando a sublinhar que a execução do Proder "falhou" em toda a linha.
A PSP e a GNR apostam no reforço dos efectivos nas praias portuguesas para fazer face ao volume de banhistas e ao previsível aumento de criminalidade nessas zonas. Tanto a GNR como a PSP contam envolver a totalidade dos seus efectivos, respectivamente de 25 mil e 24 mil pessoas, nas operações de segurança das zonas balneares, mas também nas áreas comerciais e residenciais. Também os eixos viários que durante o Verão são mais frequentados serão alvo de vigilância reforçada. A PSP terá equipas velocipédicas.