Tino de Rans quer presidir à Câmara de Valongo

a Tino de Rans, o calceteiro da Câmara do Porto que já dirigiu uma junta de Penafiel, foi vedeta de televisão e protagonista num congresso socialista da era Guterres, assumiu ontem que é candidato independente à Câmara de Valongo e que vai ganhar. "Vou ser presidente da câmara", proclamou Vitorino Silva, de 37 anos, assegurando que tem "o povão" do seu lado e que funciona como "um íman a que toda a gente se pode colar". "Sou capaz de bater à porta das pessoas, de falar com elas, o que poucos políticos fazem", acrescentou Vitorino Silva.Foi às 11h44 em ponto - por ser o momento do ano em que o dia tem a mesma duração da noite - que Vitorino Silva proclamou a sua candidatura e anunciou que os valonguenses "é que vão fazer o programa eleitoral", durante os contactos porta a porta que pensa efectuar. "Onde houver pessoas, eu vou lá estar", disse Vitorino Silva, natural de Penafiel e residente em Valongo há 14 anos.
Para a apresentação da candidatura, Tino de Rans escolheu a Rotunda do Alto da Serra, onde se encontra um grupo escultórico que simboliza a união das cinco freguesias de Valongo, que ele próprio pretende reforçar.
A Câmara de Valongo é dirigida actualmente pelo social-democrata Fernando Melo, e para as próximas autárquicas também já estão anunciadas as candidaturas do socialista Afonso Lobão e da independente ex-PS Maria José Azevedo. "Os três devem estar orgulhosos de ir a votos com o Tino. Não se importam de perder contra o povo", afirmou o pré--candidato a este propósito.
Vitorino Silva admitiu à Lusa que a sua campanha, neste concelho de 70 mil eleitores, vai dar especial atenção a mais de 30 mil abstencionistas nas últimas autárquicas e a quatro ou cinco mil jovens que se recensearam nos últimos anos. O pré-candidato disse que vai iniciar a recolha de assinaturas para formalizar a sua candidatura na segunda-feira de Páscoa e assegura que "vai até ao fim".
Adiantou que o seu grupo vai concorrer aos dois órgãos municipais (câmara e assembleia) mas não à presidência das cinco juntas de freguesia de Valongo e que vai constituir uma associação cívica designada Temos Terra, Somos Gente.
Vitorino Silva dirigiu durante oito anos a Junta de Freguesia de Rans, Penafiel, eleito pelo PS, e ficou na história deste partido quando abraçou o então líder socialista António Guterres depois de proferir um discurso empolgado.
Tino já não milita no PS, porque quer ser "livre". Frequenta um curso de Comunicação Social num instituto de Gaia