Câmara de Lisboa vai tentar vender quatro palácios e dois prédios

Depois das goradas tentativas do último mandato para vender várias quintas e palácios, a câmara vai tentar mais uma vez fazer render o seu património imobiliário

a A Câmara de Lisboa vai discutir amanhã uma proposta do vereador das Finanças, Cardoso da Silva (PS), para alienação por hasta pública de vários imóveis do património municipal no valor de 12,7 milhões de euros, incluindo quatro palácios. Os edifícios que a autarquia pretende vender são o Palácio do Machadinho, o Palácio Braamcamp, o Palácio Benagazil, o Palácio Pancas Palha, um edifício na Rua da Atalaia e um outro no Largo de Rodrigues de Freitas. A proposta estabelece um preço base de 3,3 milhões de euros para o Palácio do Machadinho (na Madragoa), 400.024 euros para o edifício da Rua da Atalaia, 1,8 milhões de euros para o Palácio Braamcamp, 1,4 milhões para o Palácio Benagazil, 1,5 milhões para o edifício do Largo de Rodrigues de Freitas e quatro milhões para o Palácio Pancas Palha.
A alienação é condicionada à "autorização" prévia do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico. Este modo de venda favorece, segundo a proposta, "os princípios gerais da concorrência, da igualdade, da imparcialidade e da transparência da actividade e do procedimento administrativo".
O Palácio do Machadinho, situado nos números 12 a 22 da Rua do Machadinho, tem uma área total de 3504,00 metros quadrados, e é constituído por um conjunto de quatro prédios distintos, onde têm funcionado diversos serviços municipais. O Palácio Braamcamp situa-se no Pátio do Tijolo, número 25, e na Travessa do Conde de Soure, números 24 e 35.
Integrado na Quinta do Policarpo, o Palácio Benagazil fica junto ao aeroporto e tem uma área coberta e descoberta de 5465 metros quadrados. O Palácio Pancas ou Palácio Van Zeller situa-se na Travessa do Recolhimento de Lázaro Leitão, número um, e Rua de Santa Apolónia, números 12 a 18, e tem 3990 metros quadrados, tendo sido recuperado pela câmara há alguns anos.
O edifício da Rua da Atalaia (138 a 144) tem uma área total de 356 metros quadrados. O prédio do Largo de Rodrigues de Freitas, perto do Martim Moniz, é o antigo edifício do Museu da Marioneta, no Largo de Rodrigues de Freitas, números 13 a 21, e Costa do Castelo, números 164 a 168, e tem uma área de 650 metros quadrados. Alguns munícipes têm contestado a venda deste imóvel por ter sido lá que nasceu São João de Brito.