Torne-se perito

Raquel Tavares traz fados, becos e vielas para o palco

Foto
Sara Matos

Fadista recria numa sala o ambiente das casas de fado

A estreia do disco foi em Maio, mas a fadista Raquel Tavares pegou nele de novo e, a partir da matriz original, recriou algo completamente diferente. O resultado estreia-se hoje, no Fórum Municipal de Lisboa, e, a pretexto de Bairro, será recriado em palco o ambiente de uma casa de fados, com sugestão do ambiente dos becos e vielas lisboetas.

"Vamos ter vários elementos cénicos que sugerem uma casa de fado", diz Raquel Tavares, no meio dos ensaios. "Mas serão coisas simples como mesas, cadeiras e outros adereços. A ideia é minha, já existia, mas foi desenvolvida agora com os três músicos que me acompanham. Não vou cantar só coisas do disco Bairro, como fiz no Teatro da Trindade, mas também fados do meu primeiro álbum, que fazem todo o sentido porque estou a contar a história de um percurso. O Fado Lisboeta, por exemplo, faz todo o sentido aqui, porque é contextualizado, conta uma parte dessa história."

A história, a dela, já foi contada muitas vezes. Filha de casal bairrista (a mãe do Bairro Alto, o pai da Mouraria), Raquel nasceu a 11 de Janeiro de 1985 no Alto do Pina. Com a família, frequentou desde muito cedo as noites fadistas. Aos cinco anos, enrolada num xaile da avó, estreou-se a cantar em público: Tudo Isto É Fado, Cheira a Lisboa e Júlia Florista. Aos 12 anos foi vencedora da Grande Noite do Fado. E aos 21 gravou o primeiro disco.

É isto? Na essência, sim, mas há muito mais para contar. E ela vai tentar fazê-lo, de algum modo, no espectáculo de hoje. Com Raquel Tavares, que se considera "uma fadista jovem com ensinamento antigo" (os seus gurus foram Fernando Maurício e Beatriz da Conceição), estarão em palco três músicos também jovens: Guilherme Banza (guitarra portuguesa), Fernando Araújo/ Yami (baixo) e Marco Oliveira (viola de fado).

"É mais do que um espectáculo de fado, é uma teimosia minha que eu queria muito que corresse bem. É uma extensão do Bairro, mas encarada como um desafio pessoal." E é assim que ela conduzirá, por becos e vielas, quem se sentar hoje na plateia a ouvi-la.

Sugerir correcção