Académica volta a vencer três meses depois graças a golo a dois minutos do fim de Orlando

a A Académica voltou a vencer para o campeonato, três meses depois da última vitória, alcançada em Setembro. O "acontecimento" deu-se em Coimbra, à 11.ª jornada da Liga, e o adversário, o terceiro a perder com a equipa de Domingos neste campeonato (depois de Rio Ave e V. Setúbal), foi o Paços de Ferreira. Um golo do avançado Lito, logo no início da primeira parte, e outro do central Orlando, já ao cair do pano, permitem aos conimbricenses subir, à condição, ao oitavo posto da classificação. Com este resultado, os academistas somam já 12 pontos e escapam aos lugares de despromoção, "empurrando" os pacenses (com 9) para a zona vermelha, embora também à condição, visto faltarem disputar os jogos com os adversários directos: o Rio Ave e o Trofense, que apenas jogam hoje e amanhã, respectivamente.
O primeiro lance de perigo só apareceu aos nove minutos, para o Paços, com Leandro Tatu a desferir o remate. O avançado da Académica Lito respondeu de imediato, mas o lance foi interceptado por Cássio. O aviso estava dado. E o mesmo Lito, um minuto depois, inaugurou o marcador, após um passe bem medido de Diogo Gomes: tirou Cássio do caminho e rematou certeiro.
A partir daí, a formação pacense - que ainda não venceu fora esta temporada, nos cinco encontros disputados longe da Mata Real - respondeu e conseguiu mesmo controlar a partida, criando jogadas de perigo. Mas o melhor lance até ao intervalo seria para a "Briosa". Novamente por Lito, agora a servir Garcès, mas este deixou-se antecipar por um defesa adversário.
O mesmo Garcès, muito perdulário, voltou a falhar, desta feita no início da segunda parte, com Cássio a sair aos seus pés.
A estes falhanços, o Paços respondeu com um golo. E empatou a partida por William: o avançado brasileiro marcou o seu 8.º golo na prova e segurou o estatuto de melhor marcador. Em posição frontal, rematou para o canto direito da baliza de Peskovic. A defesa de Coimbra não fica isenta de culpas.
A reacção dos da casa saiu aos soluços. Primeiro foi Cris a falhar a emenda de um golo que parecia certo; depois foi Carlos Aguiar, na marcação de um livre, a deixar em desespero os pouquíssimos adeptos que se deslocaram ao estádio, com um remate disparatado.
A Académica ia carregando e, numa jogada de insistência, sentenciou o encontro. Perto do fim, num cabeceamento certeiro do defesa central Orlando, a centro de Cris.
Académica 2
Paços de Ferreira 1
Jogo no Estádio Cidade de Coimbra.
Assistência 3439 espectadores
Académica Peskovic, Pedrinho, Luiz Nunes, Orlando, Pedro Costa, Nuno Piloto, Diogo Gomes, Cris, Miguel Pedro (Carlos Aguiar, 56'), Lito (Tiero, 69') e Garcès (Éder, 63').
P. Ferreira Cássio, Filipe Anunciação, Ozeia, Ricardo, Chico Silva, Paulo Sousa, William, Cristiano (Kelly, 85'), Dedé (Carlos Carneiro, 56'), Pechincha e Leandro Tatu (Ferreira,56').
Árbitro Marco Ferreira, do Funchal.
Amarelos Garcès (15'), Dedé (50'), Pedrinha (75'),Cássio (80'), Kelly (87')
Golos 1-0 por Lito, aos 11'; 1-1 por William, aos 59'; 2-1 por Orlando, aos 88'.