Os objectivos

UCI Cinemas reabre
11 das 21 salas

Os objectivos passam pelo incremento de 5 a 10 por cento no número de visitantes, nos próximos meses, com a reabertura de 11 das 21 salas de cinema. A exploração vai estar a cargo da UCI Cinemas, que em Portugal detém as 14 salas do El Corte Inglés e as 20 salas do ArrábidaShopping. Segundo o seu director, Simão Fernandes, a UCI é o "maior exibidor de cinema da Europa", com 181 cinemas e 1625 ecrãs. Emprega 8000 pessoas e facturou 726 milhões de euros em 2007, com 76 milhões de espectadores. a A administração do Freeport de Alcochete acredita conseguir ultrapassar, com a reabertura das salas de cinema prevista para o dia 20, o período conturbado que o empreendimento comercial deu mostras de estar a atravessar, há cerca de seis meses. Os lojistas vieram a público denunciar a alegada falta de cumprimento das promessas feitas pelos promotores por altura da assinatura dos contratos, quando se perspectivava que aquele que foi anunciado como "o maior outlet da Europa" iria receber 20 milhões de visitantes/ano. O número não se concretizou - ficou-se, em 2006, pelos 4 milhões -, os lojistas não facturaram o que previam e deixaram de pagar as rendas, e muitos recorreram ao tribunal para pôr fim aos contratos. "Chegámos a ter 40 processos em tribunal e em 2006 fecharam 60 lojas", recorda José Geada, o presidente da associação de lojistas que se prepara para passar o testemunho, uma vez que os dois espaços que detinha - uma loja de decoração e outra do conceito gourmet - fecharam no início do ano.
Para os lojistas contactados pelo PÚBLICO, o momento que mais contribuiu para a quebra no número de visitantes foi o encerramento das 21 salas de cinema do complexo, em Novembro de 2005. "Era uma actividade-âncora que trazia muita gente e quando encerrou foi o descalabro", recorda Fernando Pessoa, proprietário do Restaurante Al-Foz.
O anúncio feito ontem pela administração do outlet foi, naturalmente, recebido com entusiasmo. Fernando Pessoa revela, aliás, que a aquisição do Freeport pelo Grupo Carlyle, em Março deste ano, marcou a viragem na atitude da administração.
"Agora somos tratados como parceiros", afirma o empresário, que suspendeu a acção judicial contra a Freeport. "Os objectivos são mais realistas e estamos empenhados em ajudar a cumpri-los." O ainda presidente da associação de lojistas também tem recebido este feedback por parte dos antigos colegas e só espera que não seja tarde para iniciar a retoma.
A conferência de imprensa sobre "o novo ciclo do Freeport" foi realizada na maior sala de cinema do país, com capacidade para 871 pessoas. No total, as 11 salas têm 3391 lugares, sendo que as restantes dez vão continuar fechadas a aguardar que o mercado dê sinais positivos. Para já, a UCI prevê receber 300 mil espectadores por ano, projecções que levam o novo director-geral da Freeport, Nuno Oliveira, a manter em alta as expectativas.