Ana Moreira e O Céu de Suely premiados no Festival da Feira

A actriz foi distinguida pelo seu papel
em Transe, de Teresa Villaverde

O Céu de Suely, do brasileiro Karim Ainouz, venceu o prémio de melhor filme da décima edição do Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira. Os prémios, esculturas inspiradas no castelo feirense, foram ontem entregues na sessão de encerramento, que teve lugar no auditório da biblioteca municipal. A interpretação de Ana Moreira no filme Transe, de Teresa Villaverde, valeu-lhe o prémio de melhor actriz. A obra portuguesa ganhou ainda o prémio especial do júri. O brasileiro Caio Blat foi considerado o melhor actor, pela sua participação em Proibido Proibir, do brasileiro Jorge Durán. A longa-metragem Crime Delicado, do brasileiro Beto Brant, venceu o prémio dos cineclubes e ganhou ainda uma menção honrosa do júri. O prémio revelação foi para A Concepção, do brasileiro José Eduardo Belmonte, e o do público atribuído a Wood & Stock - Sexo, Orégano e Rock"n"Roll, de Otto Guerra, do mesmo país.Beijo de Sal, do brasileiro Fellipe Gamarano Barbosa, foi o principal vencedor na categoria de curtas-metragens, ao conquistar os prémios de melhor filme e 2: Onda Curta e ao ser também distinguido pelo público do festival. O filme português Perímetro, de Miguel Seabra Lopes, ganhou o prémio especial do júri, enquanto História Trágica com Final Feliz, de Regina Pessoa, levou para casa uma menção honrosa.
As restantes distinções nas curtas-metragens foram para obras brasileiras. Manual para Atropelar Cachorro, de Rafael Primo, ganhou o prémio revelação, o da crítica foi para Jonas e a Baleia, de Felipe Bragança, e o do público para Noite de Sexta, Manhã de Sábado, de Kleber Mendonça Filho. Na secção Somos Todos Filhos da Terra, destinada à exibição de filmes nos suportes extra 35mm, Teoria da Paisagem, do brasileiro Roberto Bellini, foi o filme distinguido.
O cineasta português Rodrigo Areias, os realizadores brasileiros Edgard Navarro e Karen Akerman e o crítico de cinema Marcelo Lyra compuseram o júri oficial, responsável pela avaliação de 18 curtas-metragens e sete longas apresentadas a concurso na décima edição do festival luso-brasileiro.