ONU propõe um novo nome para a Macedónia

O diferendo entre Atenas e Skopje sobre a designação oficial da ex-república jugoslava prolonga-se há 14 anos

A ONU propôs - pela primeira vez - uma solução de compromisso sobre o diferendo em torno do nome oficial da Antiga República Jugoslava da Macedónia (FYROM), sugerindo que a nova designação seja República da Macedónia-Skopje. A iniciativa, anunciada sexta-feira, destina-se a terminar com 13 anos de inconclusivas negociações sobre um assunto que originou graves períodos de tensão entre Atenas e Skopje.
Na sequência de conversações mantidas em Atenas com vários responsáveis políticos gregos, o mediador das Nações Unidas, Matthew Nimetz, responsável por este dossier, sugeriu a denominação de República da Macedónia-Skopje para utilização oficial. Numa primeira reacção, Atenas considerou que esta designação pode constituir a base para negociações construtivas.
Citado pela BBC, o chefe da diplomacia grega, Petros Molyviatis, admitiu que a sugestão "não satisfaz totalmente a Grécia, mas constitui uma base de negociações que a Grécia está disposta a aceitar, num espírito positivo e construtivo". Para Atenas, o nome Republika Macedonija-Skopje, apenas escrito desta forma e sem tradução, deverá ser adoptado para utilização internacional. O nome será válido para todos os organismos da ONU, cabendo ainda às Nações Unidas recomendar a sua adopção pelos Estados e outras instituições internacionais.
Em contraste, o primeiro-ministro macedónio, Vlado Buckovski, reagiu com pouco entusiasmo ao compromisso anunciado e considerou como "melhor solução" a sua proposta de dupla fórmula. Esta solução consistiria em utilizar o nome de República da Macedónia para todos os países e organizações à excepção da Grécia, com a qual - e na sequência de conversações bilaterais - seria acordada uma outra designação. Buckovski anunciou, no entanto, que as negociações deverão prosseguir na segunda-feira, na sede da ONU, em Nova Iorque.
O nome República da Macedónia é considerado pelo Governo grego parte exclusiva do seu património histórico e nacional. O contencioso entre os dois países vizinhos dos Balcãs foi desencadeado em 1991, na sequência do desmembramento da ex-Jugoslávia federal e a consequente proclamação da independência da república da Macedónia, em 8 de Setembro desse ano. No período mais crítico do contencioso, a Grécia impôs um embargo económico a Skopje, forçando-a a aceitar a designação de FYROM, ainda em utilização na ONU e outras instituições mas rejeitada pela maioria dos habitantes do pequeno Estado.