Gabriel O Pensador edita compilação para Portugal

Ele diz que não é bem assim, mas passados dez anos sobre o lançamento do seu álbum de estreia, o músico brasileiro Gabriel O Pensador está em fase de balanço. Em Portugal foi ontem colocada à venda uma compilação que reúne alguns sucessos e em Fevereiro vai ser editado um CD que reporta uma actuação ao vivo para a MTV-Brasil, realizada em Dezembro."Tás A Ver - O Melhor De Gabriel O Pensador" tem como principal motivo de interesse a inclusão de um tema original intitulado "Tás a ver?", numa parceria com Adriana Calcanhoto. "Foi em 2000 que a ideia surgiu através da editora", conta o rapper. "Propuseram-me que lançasse uma compilação só para aqui que tivesse um tema inédito. Ocorreu-me que era interessante que essa música fosse sobre Portugal. Cheguei a anotar algumas ideias mas a música não aconteceu. Mais tarde, numa viagem, comecei a escrever a letra do 'Tás a Ver?' Apanhei a expressão em Angola, mas sabia que em Portugal era utilizada. Pareceu-me uma ideia engraçada fazer uma música intimista a partir de uma expressão de Portugal. A letra da amizade e das coisas simples da vida."O tema contém um "sampler" retirado do tema "Caramba" de Sérgio Godinho. No excerto samplado, Godinho canta que "a vida é feita de pequenos nadas".Mas não é só a letra que revela uma faceta nova em Gabriel, também em termos sonoros existem diferenças em relação ao último álbum "Seja Você Mesmo Mas Não Seja Sempre O Mesmo". "A canção tem uma linguagem poética e em termos musicais está longe da faceta mais rock do último álbum. Queria fazer uma coisa bonita com harmonia e o 'sampler' do Sérgio dá-lhe um toque de nostalgia... Depois o timbre da Adriana tem também essa leveza. Ela é um pouco tímida e a letra também fala disso. Combina tudo muito bem."A selecção dos temas, do próprio Gabriel, teve em conta a especificidade da relação com o público português. "Existem temas que funcionam melhor aqui do que no Brasil e vice-versa. Gosto disso, porque revela que o meu trabalho é entendido de formas diversas."Apesar da vocação universalista da música brasileira, o músico ainda não conseguiu projecção além do eixo Brasil-Portugal. Opção ou falta de investimento? "Nunca levei muito a sério isso aí. Já fiz 'shows' em vários países, mas para público brasileiro. É que na minha música as letras são importantes. O Caetano [Veloso] ou o Chico [Buarque] acabam por fazer parte do circuito world-music, o que é diferente. No caso deles, ou do Gilberto e do Jobim, a exportação foi natural, porque a sua música era única. A minha, apesar de diferente, não é uma novidade."Na música de Gabriel, a crítica social, os políticos e as suas políticas estão sempre sobre mira. Pelo menos, até agora. Porque o contexto político mudou no Brasil e Lula - de quem sempre se manifestou admirador - está agora no poder. "É verdade, mas isso aí não vai mudar nada. Vou continuar a criticar sempre que achar que o devo fazer. Antes do Lula tomar posse eu já estava optimista. Mas depois da posse fiquei ainda mais, porque eles mostraram que sabem o que estão fazer. A escolha dos ministros foi positiva. Têm mostrado rigor e abertura. As pessoas estão satisfeitas e mesmo aqueles que eram contra estão percebendo que o país está em boas mãos."Um dos ministros é o "velho amigo", Gilberto Gil. "Não foi uma surpresa a sua nomeação. Não pensamos nisso quando falamos dele, mas ele já havia sido político na Baía. Na área do cinema ficaram receosos quando o nome dele surgiu porque o Ministro da Cultura era sempre dessa área. Mas o Gil não vai olhar só para a música. É um cara com experiência que passa confiança. Falei com ele quando foi escolhido e percebi que teve em conta o lado afectivo. O Lula chamou ele de forma carinhosa e o Gil ficou emocionado. Disse: se ele tem coragem eu também vou ter!"Nos próximos meses, quando for lançado o novo disco de Sérgio Godinho, vamos voltar a ouvir falar de O Pensador. É que, em conjunto com os Da Weasel, participou na feitura de uma das faixas do disco. "Foi muito divertido. Canto eu, o Carlão e o Vírgul [dos Da Weasel]. A base sonora foi feita pela banda do Sérgio. Pegámos na música 'Isto anda tudo ligado' e transformámos as estrofes em rap. Sou fã do Sérgio desde o primeiro momento em que ouvi a sua música. Ele é uma das minhas influências."