Figo ganha Bola de Ouro

Figo foi consagrado em França com o prémio Bola de Ouro, atribuído ao melhor futebolista da Europa. Depois de o francês Zidane ter arrecadado o galardão da FIFA há uma semana para melhor jogador do mundo, ontem foi a vez de o português ganhar mais um prémio, depois de ser eleito o futebolista do ano pela revista "World Soccer".

Luís Figo venceu ontem o principal troféu do semanário desportivo "France Football", atribuído desde 1956. A Bola de Ouro foi entregue pelo jornal francês, depois da conquista do primeiro prémio da revista inglesa "World Soccer" e da perda para Zidane do galardão World Player, da FIFA. O futebolista do Real Madrid foi consagrado em França e sucede a Eusébio como o segundo português a conseguir a distinção, depois de o "Pantera Negra" ter sido distinguido em 1965.O antigo futebolista do Benfica não se escusou a comentar o prémio atribuído ao jogador do Real Madrid e afirmou que o futebol português "sente-se honrado". "Figo merece o troféu. Depois de ter perdido o primeiro lugar para Zidane no galardão para o melhor jogador do mundo dado pela FIFA, o 'France Football' reconheceu o seu valor. O prémio está bem entregue e é uma grande alegria para mim, já que somos grandes amigos", sublinhou Eusébio.Aos 28 anos, Figo recebe o maior prémio individual da sua carreira. O internacional português obteve 197 pontos na votação levada a cabo pela revista especializada "France Football", mais 16 pontos que o francês Zinedine Zidane, da Juventus, no segundo posto, com 81 pontos. Na terceira posição ficou o ucraniano do AC Milan, Andrey Chevtchenko (85 pontos), seguido do francês do Arsenal, Thierry Henry (57), e do italiano da Lazio, Alessandro Nesta, e do brasileiro do Barcelona, Rivaldo, ex-companheiro de Figo no clube catalão, ambos com 39.A atribuição há uma semana a Zidane do troféu da FIFA para o melhor futebolista do mundo - a segunda vez em três anos - deixou um sabor amargo na segunda posição conquistada por Figo. O médio do Real Madrid contava com a máxima distinção depois da vitória uns dias antes do prémio da "World Soccer". O triunfo de ontem sobre o jogador francês, atribuído por um dos jornais mais prestigiados de França, não deixa de ser irónico e faz levantar várias questões, como o peso de Portugal nos meandros da FIFA, o organismo máximo do futebol a nível mundial.A Bola de Ouro veio coroar uma carreira brilhante do futebolista português, que culminou neste Verão frenético com a saída do Barcelona para o arqui-rival Real Madrid. A mais cara transferência de sempre custou aos cofres dos "merengues" mais de 12 milhões de contos, servindo de bandeira a Florentino Pérez na campanha para a corrida à presidência do clube, destronando o anterior líder, Lorenzo Sanz. Apesar de actuar no Real, a rivalidade entre os clubes é enorme e ontem, Juan Gaspart, presidente dos catalães, fez questão de lembrar que o prémio se devia ao bom desempenho do futebolista ao serviço do Barcelona...A distinção destaca ainda mais a excelência técnica do jogador a nível individual, já que em termos colectivos nada conquistou no último ano. Ficou em segundo na Liga espanhola, foi eliminado nas meias-finais do Europeu, da Liga dos Campeões e da Taça do Rei, e nos dois troféus que poderia alcançar já ao serviço do Real Madrid, a Supertaça europeia e a Taça Intercontinental, perdeu-os para o Galatasaray e Boca Juniors, respectivamente. Figo junta-se a nomes consagrados como Eusébio, Cruyff, Platini, Van Basten, Di Stefano, Beckenbauer, Keegan, Rummenigge, Yashine, Gullit, Ronaldo, Zidane, Rivaldo e também Maradona (prémio especial em 1995) e Pelé (eleito o melhor do século pelo jornal).Em 45 edições, Figo é o 35º futebolista a receber o prémio, que sete futebolistas já conseguiram mais de uma vez (Cruyff, Platini e Van Basten, por três vezes, e Di Stefano, Beckanbauer, Keegan e Rummenigge, duas) e já foi ganho por jogadores de 16 países.