A Pharol, accionista maioritária da Oi, reduziu em 2016 os prejuízos para 75,1 milhões de euros, face aos 693,9 milhões de euros de perdas em 2015, segundo o relatório e contas consolidadas de 2016 da empresa.

  • A Pharol, accionista maioritária da Oi, reduziu em 2016 os prejuízos para 75,1 milhões de euros, face aos 693,9 milhões de euros de perdas em 2015, segundo o relatório e contas consolidadas de 2016 da empresa.

  • A administração da EDP Renováveis considera que o preço de 6,80 euros que a EDP pretende oferecer por cada acção que ainda não controla da sua empresa de energias limpas é “adequado”.

  • O Governo vai mudar as regras na relação entre os clientes e os bancos. As mudanças vão tocar à administração dos bancos, aos supervisores, mas também aos funcionários. Veja aqui o que muda.

  • As duas instituições vão ter de trocar mais informações sobre os produtos que se vendem aos balcões dos bancos.

  • Proposta de lei que cria fundo de recuperação de créditos deu entrada na AR esta quinta-feira. Clientes têm até 26 de Maio para aceitar solução.

  • “Holding” que é agora 100% da CGD não desiste de receber os dividendos de 2014, tema que chegou a levar a tribunal. Banco pode receber cerca de 980 mil euros

  • O banco que sucedeu ao BES e foi vendido ao Lone Star acumulou um prejuízo de 788,3 milhões no ano passado. Imparidades voltaram a pesar. O crédito concedido recuou.