• Primeiro-ministro iraquiano diz que a destruição da mítica mesquita de Al-Nuri, em Mossul, é uma declaração formal de derrota por parte do Daesh. Jihadistas dizem que foram os EUA que destruíram o monumento, mas estes desmentem. Perde-se mais um edifício histórico da região.

  • Foi na Al-Nuri que Abu Bakr al-Baghdadi autoproclamou o "califado", em 2014.

  • Mais de 300 pessoas foram hospitalizadas, cem das quais em estado grave, após a refeição de segunda-feira à noite.

  • Há crianças a serem usadas como escudos humanos pelos insurgentes, diz o organismo das Nações Unidas.

  • Exército norte-americano tinha como alvo atiradores furtivos do Daesh na cidade de Mossul, mas o fogo terá detonado explosivos dos jihadistas e um edifício desabou, matando pelo menos 105 civis.

  • Um dos suicidas detonou carga de explosivos contra uma esquadra da polícia.

  • Para o sociólogo francês Olivier Roy, é urgente que se faça uma outra leitura sobre quem são os terroristas europeus “domésticos”, cujas biografias revelam serem niilistas violentos que adoptam o islão e não fundamentalistas religiosos que se viram para a violência. Excerto do seu último livro.