APRENDER COM O PÚBLICO

Censos Borboletas de Portugal? Sim, existe. E tu podes ajudar

Hoje desafiamos-te a saber um pouco mais sobre borboletas. Como ponto de partida, uma infografia realizada pelo PÚBLICO em setembro de 2019. O objetivo final: motivar-te para seres voluntário nos Censos Borboletas de Portugal, ou seja, na contagem regular de borboletas diurnas em percursos fixos.

cidadania-desenvolvimento,aprender-publico,publico-escola,ciencias,ensino-secundario,biologia,
Foto
Nuno Ferreira Santos

Esta atividade exige um trabalho de exterior que o desconfinamento já permite fazer, desde que cumpras todas as regras de segurança, como o uso de máscaras e o distanciamento físico.

O ponto de partida é uma infografia: um tipo de texto que te proporciona uma forma diferente e completa de leitura. Ao combinar texto, imagem, gráficos e outros elementos visuais a sua compreensão é mais simples e motivadora. Este tipo de trabalho surge, cada vez mais, nos meios de comunicação social por se revelar uma excelente forma de ajudar na compreensão de estudos e investigações mais complexas.

 O que te propomos:

“Garridas e esvoaçantes, as borboletas são um dos insectos mais facilmente reconhecidos pelo olho humano e são também uma das melhores formas de identificar a perda de biodiversidade no mundo dos insectos. Particularmente sensíveis às alterações climáticas, são excelentes indicadores da qualidade dos habitats naturais e da diversidade. As borboletas (e os insectos) estão a desaparecer, e as alterações climáticas são um dos ingredientes que entram para a equação do seu declínio.”

- Lê e analisa esta infografia do PÚBLICO, com especial atenção aos diferentes recursos utilizados;

- Descobre a função e as caraterísticas deste tipo de texto;

- Identifica as fontes e os diferente intervenientes na realização deste trabalho;

- Visiona o vídeo: a voluntária Sónia Mendes do Parque Ambiental de Santa Margarida explica-te como é fácil contar borboletas;

- Prepara a tua participação nos Censos Borboletas de Portugal consultando todo o material aqui disponibilizado e seguindo estes passos:

Passo 1: Escolher o percurso

O transecto – percurso de estudo – deve ter cerca de um quilómetro e deve ser de fácil acesso ao “caçador de borboletas”, para poder ser visitado pelo menos uma vez por mês. O percurso fixo tem de ser registado na plataforma do projecto, e pode pedir-se ajuda ao Tagis para definir o percurso.

Passo 2: Aprender a identificar borboletas
Como terá de apontar todas as espécies de borboletas observadas, o Tagis disponibiliza online um guia das borboletas que existem em território nacional e que ajudarão a perceber qual a espécie observada. O guia tem imagens de todas as borboletas, indicando também o seu tamanho e os meses em que podem ser vistas a voar.

Passo 3: Contar borboletas e enviar registos
A contagem é idealmente feita a passo lento entre Março e Setembro, apontando-se a hora a que começa e a que termina a contagem, assim como a temperatura. De resto, não deve estar a chover, nem deve haver vento. Os dados devem ser apontados numa folha de registo e depois introduzidos numa plataforma online.

No Manual dos Censos de Borboletas de Portugal encontras todas as informações sobre os Censos de Borboletas de Portugal, bem como a descrição das metodologias de marcação dos transetos e de contagem de borboletas.
 
Podes também descarregar o Guia das Borboletas Comuns de Portugal Continental, este guia ilustra 60 espécies de borboletas comuns no nosso território e é uma ótima ajuda para quem está a começar a identificar borboletas e pretende participar nos Censos de Borboletas de Portugal.

Mais informações:
censosborboletasdeportugal@gmail.co

Fontes:

http://www.tagis.pt/censos-borboletas-de-portugal.html

https://butterfly-monitoring.net/pt-pt/os-meus-transetos

 

Segue-nos em https://www.facebook.com/PublicoNaEscola

Nota: O Jornal PÚBLICO não é escrito segundo o acordo de 1990