Fotogaleria

Uma companhia aérea para cães? Aqui voam todos em primeira classe

A experiência que dá prioridade aos cães começa com uma sala de espera repleta de guloseimas e um check-in rápido. Há também spa a bordo e "champanhe".

Eduardo Munoz/Reuters
Fotogaleria
Eduardo Munoz/Reuters

A BARK Air, empresa que quer mimar os animais de estimação e os seus donos mesmo antes da descolagem, vai fazer o seu primeiro voo entre Nova Iorque e Los Angeles esta quinta-feira.

O director executivo Matt Meeker afirmou que a ideia deste negócio surgiu da dificuldade em transportar Hugo, o seu dogue alemão.

“Não podia fazer viagens de longa distância com ele e tive a ideia de criar uma companhia aérea para cães”, disse Meeker, que também fundou a BarkBox, um serviço de subscrição de produtos para cães da Bark Inc.

“Fizemos questão de atender a todas as necessidades do cão, tentando diminuir a ansiedade e o stress, para que ele tenha a experiência mais confortável possível sem sentir medo de viajar num avião.”

A experiência que dá prioridade aos cães começa com uma sala de espera repleta de guloseimas e um check-in rápido. A BARK Air também oferece um spa a bordo para os caninos e um menu com “champanhe para cães” e barkaccinos.

A empresa pretende vender dez bilhetes por voo para ter lugar para dez cães, embora o avião de luxo possa acomodar até 15 pessoas.

Os bilhetes para uma pessoa e um cão custam 8000 dólares para um voo internacional de ida ou 6000 dólares para viagens domésticas. A Meeker diz que os preços poderão vir a baixar no futuro.

“Estamos a operar com prejuízo no início. A ideia é que, com o tempo, tenhamos um caminho seguro para se poder baixar o preço para o consumidor e os nossos custos. E isso vem com viagens com escala e mais rotas.”

Actualmente, a BARK Air voa entre Nova Iorque, Los Angeles e Londres. A empresa está a considerar acrescentar voos para Paris, Milão, Chicago, Seattle e destinos sazonais na Florida e no Arizona, depois de ter recebido 15.000 pedidos de novos destinos. “Espero que possamos criar uma experiência que chegue a todas as famílias que queiram viajar.”

Eduardo Munoz/Reuters
Eduardo Munoz/Reuters
Eduardo Munoz/Reuters
Eduardo Munoz/Reuters