Paulo Nozolino: “Prefiro mil vezes estar numa igreja a estar num jardim”

É um regresso ao Sul. E uma redescoberta da Europa clássica e profética. Paulo Nozolino sente-se a “limpar a mesa” para caminhar com menos pesos por lugares antigos, muito antigos. O primeiro resultado dessa procura está à vista a partir desta sexta-feira na Galeria Quadrado Azul, em Lisboa.

Foto
RG Rui Gaudêncio - 10 Setembro 2022 - Fotógrafo Paulo Nozolino durante a montagem da sua exposição individual ORACLE. Lisboa. Público Rui Gaudêncio

Há cerca de um ano, a Relógio D’Água publicava um livro, Dizer o Mundo, que é aquilo que podemos considerar o preâmbulo de Oracle, a nova exposição de Paulo Nozolino, que pode ser vista a partir desta sexta-feira na Galeria Quadrado Azul, em Lisboa, onde fica até 15 de Dezembro. Num exercício editorial tão raro quanto rico em detalhes sobre modos de ser, de pensar e de criar arte, a jornalista Alexandra Carita, companheira de Nozolino, moderou e editou um conjunto de oito conversas entre o fotógrafo e o escritor Rui Nunes, que desde há muito acompanha e reflecte sobre o trabalho do artista. Durante a pandemia (mas não por causa dela), no dia que mais detestam da semana, os domingos, este trio sentou-se para conversar. Longamente.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários