Reclusos do Linhó aprendem a arte da gentileza a dançar

Reclusos do Estabelecimento Prisional do Linhó apresentam este domingo no grande auditório da Fundação Calouste Gulbenkian espectáculo dirigido por Olga Roriz. É o ponto alto do projecto Corpo em Cadeia desenvolvido por Catarina Câmara.

Foto
PP paulo pimenta - 18 Maio 2022 - PORTUGAL, Cascais, Alcabideche - Estabelecimento prisional de Linho - projeto " Corpo em Cadeia " com a apresentacao da peca de danca "A minha historia nao e igual a tua ", pelos reclusos da prisao, com direcao artistica da coreografa Olga Roriz - a apresentacao sera na Fundacao Calouste Gulbenkian (Lisboa), que apoia a iniciativa atraves do programa de inclusao social PARTIS Paulo Pimenta

A palavra propagou-se de cela em cela: dança no Estabelecimento Prisional do Linhó, em Cascais. Dança? Quem não gosta de dançar?

Sugerir correcção
Ler 10 comentários