Mais do que o automóvel do futuro, este é o presente em que se traça o futuro da sustentabilidade

Muito antes de se falar em destino, quando falamos em sustentabilidade, reforçamos a importância do caminho. Todos os dias, há pequenos passos que podem ser tomados e pequenas (grandes) diferenças que moldarão o destino assim que lá se chegar. No mundo da mobilidade, isto não é excepção. Chegou a altura de se falar do futuro dos carros.

Foto

Desde padrões significativos na avaliação do ciclo de vida, aos recursos utilizados, à reciclagem e ao consumo de energia, muito tem sido feito para que o caminho se comece a construir no que diz respeito aos veículos automóveis. Mas enquanto muitos oferecem uma estratégia focada no imediato, algumas marcas não oferecem concessões a um futuro sustentável a longo prazo, planeando com linhas temporais mais arrojadas. A BMW é exemplo disso, comprometendo-se a expandir a sua estratégia de electrificação e ser capaz de oferecer 25 modelos eléctricos até 2023. Mas esta não é a única data a ter em conta.

Re:pensar, Re:duzir, Re:ciclar. Re:utilizar. É assim que nasce o BMW i Vision Circular, um veículo compacto totalmente eléctrico e com um design sustentável, que estará disponível no ano de 2040. No fundo, este projecto é muito mais do que apenas um carro do futuro. Este é o carro que determina o futuro. A visão criativa para todo o processo não só materializa a vontade de o BMW Group se tornar no fabricante mais sustentável, no sector da mobilidade individual de elevada qualidade, como tem como objectivo alcançar a utilização de materiais reciclados a 100%.

Para além de um design futurista e luxuoso, o BMWi Vision Circular destaca-se ainda pela sua estética de materiais e desmontagem fácil. Existe uma redução do número de peças, grupos de materiais e acabamentos de superfície. Ao invés, a utilização é feita a partir de material reciclado e renovável. A pele, por exemplo, é substituída por têxteis, sem que cada pormenor deixe de contar a sua história. No fundo, o interior do BMW i Vision Circular destaca o que o futuro poderá reservar, no que diz respeito à circularidade e selecção de materiais.

Para além disto, é ainda de destacar a sua desmontagem fácil. Várias peças do veículo são desmontadas de forma fácil e rápida, sendo possível devolvê-las aos seus mono materiais individuais que são alimentados de volta ao ciclo de materiais. Isto não só vem provar que as ligações amovíveis são relevantes, enquanto os produtos não chegam ao seu fim, como vem simplificar a substituição de peças e materiais enquanto os produtos são utilizados.

Ainda que os resultados sejam animadores, o caminho é longo e a lista de objectivos ainda tem várias etapas por preencher. Até 2030, a marca propõe-se a alcançar metas como 25% dos seus modelos electrificados, 20% menos de emissões de CO2 na cadeia de fornecimento - e 80% menos nos processos de produção -, neutralidade climática em 2050, entre tantas outras.

A viagem é longa e, por vezes, a estrada pode ser sinuosa. Porém, quilómetro a quilómetro, a vontade é a de escolher novos e diferentes caminhos que nos levem até um futuro mais amigo do ambiente, um futuro em que os círculos são virtuosos.

Sugerir correcção
Comentar