Apaixonado por plantas, Tomás Tojo quer levar a natureza até todos — começando pelos jardins

Tomás Tojo foi o impulsionador do festival Jardins Abertos, que começou graças a uma troca de emails com uma amiga e dez euros, e que regressa a Lisboa nos dois primeiros fins-de-semana de Setembro. Passou por Londres, São Paulo e Índia, mas foi em Sintra que criou raízes enquanto procurava tranquilidade.

natureza,festival,p3,botanica,perfil,inovacao,
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
natureza,festival,p3,botanica,perfil,inovacao,
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos

Começou por experimentar golfe e equitação, mas rapidamente se aborrecia. Foi então que, com apenas oito anos, Tomás Tojo percebeu que o seu desporto preferido eram as plantas. Em 2017, quando viajava pela Índia (o seu país favorito), teve a ideia de enviar um email a Rosana Ribeiro, uma colega e amiga de longa data. E foi com esse email que tudo mudou. “Disse-lhe que tínhamos mesmo que fazer um festival ou um tipo de projecto cultural de sustentabilidade e ecologia, e que achava que passava pelos jardins”, recorda, em conversa com o P3. E assim nasceu o festival Jardins Abertos, cuja 8.ª edição, em Lisboa, está prestes a acontecer. O passo seguinte foi “bater à porta das pessoas e ver no Google Satélite quais os jardins particulares que poderiam ter mais interesse, já que parte do trabalho é descobrir estes segredos”.