Andar de transportes no Porto vai ser diferente: saiba como

A revolução chegou aos transportes públicos no Porto. A fila para comprar bilhete ou a corrida para conseguir trocos acabou e, num projecto-piloto, a compra de bilhete para o Andante pode ser feita com cartão Visa directamente no transporte. Saiba tudo do que vai ser o futuro.

Foto
D.R.

A utilização de transportes públicos não só contribui para combater a crise climática mas também o trânsito, que congestiona a circulação nas grandes cidades. Simultaneamente, a pandemia trouxe a necessidade de os consumidores terem experiências de viagem mais rápidas, fáceis, e sem contactos. Neste contexto, o cartão contactless apresentou-se como uma das melhores alternativas, sendo altamente incentivado pela Direcção-Geral da Saúde, em detrimento do tradicional pagamento em dinheiro ou cartão (com obrigação de tocar no terminal de pagamento). A Visa, em conjunto com os Transportes Intermodais do Porto (TIP), a REDUNIQ, Card4B, LittlePay e Cybersource, trouxe essa realidade para a cidade… e nada vai ser como antes.

O que os utilizadores de transportes públicos querem?

De acordo com um estudo elaborado pela C Space para a Visa, 44% [1]  dos utilizadores de transportes públicos afirmam que os utilizariam mais vezes se a tecnologia contactless estivesse disponível. No mesmo sentido, 63% [2] dos utilizadores têm já um cartão contactless, normalmente usado para fazer compras em lojas tradicionais.

Com as cidades a começarem a reabrir, os transportes públicos vão ter um papel crucial na recuperação económica, sendo os pagamentos contactless uma experiência fácil e segura para utentes e operadores, que procuram limitar as interacções físicas. Com este objectivo, a Visa juntou-se ao TIP para oferecer uma nova solução a todos os habitantes e visitantes do Grande Porto. Esta colaboração traduz-se numa solução mais rápida (sem filas), mais segura (sem tocar em dinheiro físico) e conveniente (não obrigando os utilizadores a terem de procurar o local de venda mais próximo).

De acordo com o estudo feito por ambas as entidades, 44% dos utilizadores de transportes públicos afirmam que os utilizariam mais vezes se a tecnologia contactless estivesse disponível. D.R.
O novo meio de pagamento é um projecto piloto e por essa razão, para já, está disponível apenas na Linha Violeta (E) do Metro do Porto, que serve o aeroporto, e nos autocarros da linha 500 da STCP. D.R.
Fotogaleria
D.R.

Como funciona o novo sistema Visa?

O novo meio de pagamento é um projecto-piloto e, para já, está disponível apenas na Linha Violeta (E) do Metro do Porto, que serve o aeroporto, e nos autocarros da linha 500 da STCP. Para comprar uma viagem nestas linhas o utilizador tem apenas de usar um cartão de débito, crédito, pré-pago ou qualquer outro dispositivo de pagamento contactless (como smartwatches ou smartphones, desde que associados a um cartão Visa).

A nível de preços, cada viagem custa €2.00 e é válida por 1h15m independentemente do número de embarques em qualquer uma das estações (metro) ou paragens (autocarros STCP) identificadas. Aplica-se a política da melhor tarifa, para garantir que não sejam cobrados mais de € 7.00 (bilhete diário) no mesmo dia, independentemente do número de viagens.

Os custos são também optimizados, garantindo que paga sempre o mínimo possível. Isto significa que, num só dia, nunca pagará mais de €7.00, independente do número de viagens, pois é o preço do bilhete diário nos referidos transportes.

A realidade do futuro dos transportes públicos muda a cada dia e o que conhecíamos há 5 anos, que envolvia dinheiro ou vários cartões, tende a desaparecer - com o mesmo cartão, por exemplo de débito, a proporcionar outras utilizações. Gonçalo Santos Lopes, responsável da Visa em Portugal, reforça isso mesmo: “Para os grandes centros urbanos, o pagamento de transporte com contactless passou de algo meramente agradável para uma solução obrigatória, proporcionando aos clientes soluções seguras e convenientes”.

Quem está por detrás desta solução contactless?

A Cybersource foi crucial para este projecto. A empresa conta com um know how e experiência invejáveis, sendo pioneira no desenvolvimento de soluções de pagamentos online. A Cybersource tem sido responsável por implementar soluções contactless no sector dos transportes em vários países do mundo, como nos EUA e Japão, e agora em Portugal com o Porto, permitindo assim a adopção de métodos de pagamento mais fáceis, rápidos e seguros.

Fernando Souza, vice-presidente da Cybersource, diz que: “ao trabalhar com o TIP e outros parceiros neste projeto-piloto, estamos a ajudar o Porto a chegar à vanguarda dos transportes públicos ao fornecer soluções contactless seguras e ininterruptas num mundo onde as experiências sem contacto estão para ficar”.

Com este tipo de soluções, a Visa e a Cybersource pretendem ajudar as cidades e os seus respectivos transportes a encontrarem mais e melhores soluções de viagem e mobilidade inteligente.

A Visa inaugurou a tendência, mas não ficará por aqui.

[1] Estudo da C Space para a Visa sobre Hábitos de Mobilidade Urbana e Preferências dos Portugueses, página 4, Junho de 2021.
[2] Estudo da C Space para a Visa sobre Hábitos de Mobilidade Urbana e Preferências dos Portugueses, página 4, Junho de 2021.