Pedro Tamen, um poeta contemporâneo de virtudes clássicas

Nome fundamental da poesia portuguesa da sua geração, foi também um tradutor excepcional e um promotor de projectos culturais, como a revista O Tempo e o Modo, o Centro Cultural de Cinema ou a colecção Círculo de Poesia, que fundou e dirigiu na Moraes. Morreu esta quinta-feira em Setúbal, onde estava hospitalizado.

Foto
Pedro Mário de Alles Tamen nasceu em Lisboa em 1934 rui gaudêncio

Morreu esta quinta-feira, aos 86 anos, o poeta e tradutor Pedro Tamen, uma figura decisiva da vida cultural portuguesa ao longo de toda a segunda metade do século XX, não apenas pela sua poesia e pela sua actividade como tradutor — entre cujas façanhas mais recentes se inclui a tradução das cerca de três mil páginas de Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust —, mas também enquanto administrador da Gulbenkian, director da editora Moraes e fundador da sua influente colecção Círculo de Poesia, editor da revista O Tempo e o Modo, crítico literário no Expresso ou dirigente cineclubista.