O início da guerra na Guiné

A decisão do governo português de conceder a cidadania portuguesa aos guineenses sem os consultar era vista por Amílcar Cabral como sendo uma atitude de desprezo pelos direitos dos povos à autodeterminação e uma forma de travar a luta de libertação nacional em curso. O seu povo já não estava a lutar pela aquisição da cidadania portuguesa, mas pela independência

Foto
Photo by Reg Lancaster/Daily Express/Hulton Archive/Getty Images

O início da década de 60 marcaria o princípio do fim do colonialismo português nas suas colónias africanas. Com efeito, uma série de acontecimentos (incluindo o início das guerras coloniais) vieram abalar os alicerces de um do Estado Novo em crise. Ameaçado por fatores conjunturais e pelo isolamento internacional que os emergentes movimentos de libertação saberiam aproveitar, atravessaria um período muito atribulado nos primeiros meses de 1961.