Maioria dos distritos sem vagas para vacinar jovens. Há 90 mil pessoas em lista de espera

Jovens insatisfeitos com sucessivas inscrições em lista de espera. “Acho que a frustração deles não deve ser contra o processo de vacinação, mas sim contra a quantidade de vacinas disponíveis”, afirma ao PÚBLICO Henrique Gouveia e Melo.

Foto
Ricardo Lopes

“Dez minutos após abrir o auto-agendamento para a minha faixa etária [25 anos], tentei marcar logo, mas já não havia vaga. Da primeira vez, tentei para Matosinhos, mas mesmo assim não deu, fiquei em lista de espera”. Ana tem 25 anos e vive no Porto. Reinscreveu-se, pela terceira vez, no sistema de lista de espera da vacinação para a covid-19, depois de aguardar sem sucesso por uma mensagem de agendamento da primeira dose.