Encarar a canábis sem complacência nem preconceitos

Duas décadas depois, a legislação portuguesa já não é pioneira nem acompanha as necessidades do tempo. A descriminalização do consumo, mas não do cultivo, fabrico ou comércio não quebrou o tráfico ilegal de estupefacientes.

Foi há exatamente 20 anos que Portugal tomou a dianteira do mundo na descriminalização da aquisição, posse e consumo de drogas. Com o consumo descriminalizado, a lei alterou a visão da sociedade sobre os consumidores de drogas, deixando de lado o preconceito que os marginalizava e passando a considerá-los como pessoas que necessitam de ajuda e apoio especializado. A ênfase na adição deixou de ser criminal e passou a ser de saúde pública.