Terceira fase de desconfinamento trouxe aumento da confiança dos consumidores

Na terceira fase de desconfinamento, os portugueses voltaram aos restaurantes e as salas de espectáculo voltaram a abrir portas. Foi também durante este período que foi administrado o maior número de vacinas durante uma semana.

Foto
Paulo Pimenta

A última quinzena de Abril, do último estado de emergência, foi também uma nova fase de reabertura do país para a maioria dos concelhos do país (mas houve excepções). Entre 16 e 31 de Abril registaram-se, em média, 469 novos casos de infecção por dia (a maioria dos casos continua a dizer respeito a mulheres com menos de 50 anos). Foi também consolidada a tendência de descida do número de casos: no último dia de Abril de 2021, existiam 23.494 casos activos, menos 1850 casos (-7,3%) do que a dia 16 de Abril.

As 154 páginas do relatório coordenado pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que será discutido esta terça-feira no Parlamento destacam também a diminuição do número de casos em internamento hospitalar, que a 29 de Abril atingiram o valor mais baixo dos últimos oito meses. A segunda metade do mês traduziu-se ainda em alguns sinais positivos para a economia, com o nível de consumo e de confiança dos consumidores a darem sinais de alguma recuperação, mas também com o aumento do turismo.

10,6 milhões de testes

Desde o início da pandemia e até ao final de Abril foram realizados 10,6 milhões de testes. Na última quinzena de Abril foram registados 892.602 testes (472.281 dos quais foram testes rápidos de antigénio), um número superior aos 535.581 testes realizados na ultima quinzena de Março. Em média, entre 16 e 30 de Abril, foram realizados cerca de 59 mil testes. Do total de testes realizados ao final de Abril, 35,1% foram realizados nos laboratórios públicos (com 7,1% de positivos); nos privados 54,9% (com 10,8% de positivos); e 9,9% em outros (com 6,5 % de positivos). No último dia do mês, a taxa de positividade a sete dias fixou-se nos 0,9% (no último dia de Março estava nos 1,7%).

Portugal já recebeu mais de 4,26 milhões de vacinas

À data do relatório tinha tido início a segunda fase do plano de vacinação, depois de o país ter já recebido 4,26 milhões de doses de vacinas, das quais 2,6 são da Pfizer, 1,2 milhões da AstraZeneca, 386,4 mil doses Moderna e 55,2 mil doses da Janssen. 

Sessenta e uma mil vacinas por dia

O relatório revela ainda um balanço na vacinação, indicando que o ritmo de vacinas administradas durante a última quinzena rondou em média as 61 mil vacinas por dia, tendo sido a última semana aquela em que - até então - tinham sido administradas mais vacinas numa: 402.691 doses. Até final de Abril, já 93% dos cidadãos nacionais com 80 ou mais anos tinham recebido pelo menos uma dose de vacina e 82% já tinham a sua vacinação completa. Contas feitas, 25% da população residente já receberam pelo menos uma dose de vacina e cerca de 9% já tinham a sua vacinação completa.

Economia dá sinais de recuperação

Segundo o relatório, os níveis de procura interna demonstram uma nova aceleração, consolidando o enquadramento a que se assistiu ao longo do mês de Março. “Os indicadores de confiança demonstram também um acréscimo de expectativa na evolução económica, o qual se tende a traduzir num maior dinamismo a médio prazo, que consolida a evolução positiva dos vários sectores que se tem reportado em relatórios anteriores”, conclui.

Mais casamentos

Apesar das restrições para a celebração de cerimónias (limitada a uma lotação de 25% da capacidade máxima dos espaços), celebraram-se 810 casamentos (e 712 divórcios).

Menos infracções

De acordo com as contas apresentadas no relatório, na última quinzena de Abril foram registadas menos contra-ordenações do que no período anterior, tendo sido aplicadas 2787 coimas. Durante o mesmo período foram ainda detidas 24 pessoas e encerrados 74 estabelecimentos por incumprimento das normas. As principais infracções registadas foram:

  • 1749 casos de incumprimento do dever geral de recolhimento domiciliário;
  • 332 casos de incumprimento das regras de consumo de bebidas alcoólicas;
  • 226 casos de incumprimento da obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços públicos;
  • 73 casos de violação da proibição de circulação entre concelhos;
  • 65 casos de incumprimento da obrigatoriedade do uso de máscaras ou viseiras nos edifícios públicos, estabelecimentos de educação, ensino ou salas de espectáculos.