La Veneno foi um ícone LGBT. Veneno é uma das séries do ano

A série que foi um fenómeno em Espanha, e que está disponível na HBO Portugal desde Novembro, ilustra as várias fases da vida de Cristina Ortiz, da mudança de sexo ao improvável estrelato e por fim ao esquecimento.

Foto
Atresmedia/HBO

Foi aos soluços (a plataforma de streaming madrilena Atresplayer Premium lançou o primeiro episódio a 29 de Março, mas a pandemia empurrou para os meses de Setembro e Outubro a exibição dos restantes, à excepção do segundo, disponibilizado a 28 de Junho, dia historicamente ligado ao orgulho LGBT) que uma série sobre a história de vida e o legado de um dos mais conhecidos e misteriosos ícones LGBT espanhóis se tornou um fenómeno nacional — e depois internacional. No mês passado, os seus direitos de transmissão foram comprados pela HBO, mesmo a tempo de poder entrar na extensa lista dos melhores projectos televisivos do ano recentemente publicada pelo site Vulture (e também na do Ípsilon, que será divulgada esta quarta-feira). Leitores, sejam bem-vindos a uma das séries do momento: Veneno.