Covid-19: “O trabalho dos cuidadores passa muitas vezes despercebido, mas é essencial”

Madre Louis Mary Sesu Ratnam - aqui fotografada na capela do lar - dirige o Asilo de Santa Maria, propriedade da Caritas Macau, um lar exclusivo para mulheres idosas ©Gonçalo Lobo Pinheiro
Fotogaleria
Madre Louis Mary Sesu Ratnam - aqui fotografada na capela do lar - dirige o Asilo de Santa Maria, propriedade da Caritas Macau, um lar exclusivo para mulheres idosas ©Gonçalo Lobo Pinheiro

Um périplo pelos lares para seniores macaenses, durante o período de confinamento, valeu ao fotojornalista sediado em Macau Gonçalo Lobo Pinheiro uma distinção no concurso The Other 100, que homenageia os cuidadores de todo o mundo. Foi difícil documentar a realidade da pandemia em Macau entre Março e Maio de 2020, refere Lobo Pinheiro, em entrevista ao P3. "Os serviços de saúde nunca deram permissão para ir aos hospitais, nem tampouco para ir a estações de teste de ácido nucleico. Por isso, fui vendo o que podia fazer." Fotografou as ruas, os mercados, as igrejas e templos antes de se focar nos lares de terceira idade. "Aí, porque não me interessava concretamente mostrar os velhinhos, pus o foco nos cuidadores. Os lares que fui visitar estavam em confinamento parcial, depois de dois meses de total confinamento."

Visitou o Lar da Nossa Senhora da Misericórdia, da Santa Casa da Misericórdia de Macau e o Asilo de Santa Marta da Caritas Macau, destinado a mulheres. No último conheceu a madre e coordenadora Louis Mary Sesu Ratnam, uma mulher indiana de cerca de 60 anos que lhe mostrou a realidade do lar. "É uma mulher de poucas palavras, mas é uma pessoa bastante prestável, afável, muito preocupada com os idosos", explica. "Delega funções, sobretudo, mas gosta de acompanhar o dia-a-dia da instituição de perto, não tendo pejo em 'meter as mãos na massa' quando se justifica." Comprovou, no local, que utentes e cuidadores gostam da madre, que acredita que os cuidadores são essenciais em tempos de pandemia. "Sem eles, os idosos não teriam qualquer apoio. Neste lar fazemos tudo o que podemos com amor e seriedade", disse ao fotógrafo português, durante a visita.

"São diversas as irmãs e outras mulheres contratadas ao exterior que cuidam de dezenas de idosas, umas mais independentes, outras completamente dependentes." E Gonçalo Lobo Pinheiro retratou muitas dessas cuidadoras, quase todas mulheres, tentando ser o mais cuidadoso possível. A fragilidade dos utentes está patente nas imagens sem nunca revelar a sua identidade. "O trabalho dos cuidadores passa muitas vezes despercebido, mas é essencial para melhorar a qualidade de vida dos mais idosos", pode ler-se na descrição do projecto Caregivers, que será publicado em formato de livro já em Dezembro. "Os idosos em lares pertencem a um dos grupos mais vulneráveis desta pandemia e precisam de todo o tipo de apoio. E é graças ao incansável esforço de cuidadores como Louis Mary que podem viver sem medo de infecção."

Actualmente, e há mais de 200 dias, não existem casos activos de covid-19 em Macau.

Duas auxiliares levantam uma das idosas que vive no lar e preparam-se para a levar para o comer o seu almoço, no Asilo de Santa Maria