Pobreza, educação, direitos LGBTI+: quem compra uma ilustração, apoia uma causa e uma associação

Idealizado por duas ilustradoras, o projecto Uma causa por dia já angariou 14 mil euros para 15 associações portuguesas. "Portugal tem bons corações e se puxarmos uns pelos outros podemos fazer a diferença", diz uma das criadoras.

Educação de qualidade | Associação Mundo Inseparável Diana Reis
Fotogaleria
Educação de qualidade | Associação Mundo Inseparável Diana Reis

As ilustradoras Maria Reis Rocha e Diana Reis uniram-se para angariar fundos para 15 associações portuguesas sem fins lucrativos. Para isso, criaram em Junho o projecto Uma causa por dia, retratando as lutas em ilustrações e postais, cuja venda reverte a favor das respectivas organizações. A pobreza, a fome, a educação, os direitos LGBTI+ e o jornalismo independente são alguns dos assuntos em destaque. A segunda fase de vendas já arrancou e termina a 31 de Dezembro.

A “ilustrar por um mundo melhor”, as duas jovens representaram assim as 15 causas numa colecção de 30 obras e quatro packs de oito postais. As ilustrações, impressas em papel A3 "de alta qualidade", custam 45 euros; o conjunto de postais, impressos em papel reciclado, custa 17 euros. Na primeira fase de vendas, entre Junho e Julho de 2020, a dupla conseguiu angariar 14 mil euros. Dentro do conjunto de organizações escolhidas, encontram-se o Fumaça, a SOS Racismo, a associação Portugal para África e a Comparte.

As jovens contam ainda com o apoio de 17 personalidades portuguesas que se juntaram à ideia — entre elas, Capicua, Mariana Monteiro, Salvador Martinha e Diogo Faro. Além de "ajudarem a difundir o projecto, dão credibilidade ao trabalho realizado", explica Diana Reis. Cada um apadrinhou uma associação e ficou a conhecer melhor a causa à qual está relacionada, fazendo-a chegar ao grande público.

Para Diana Reis, "o mundo está a pender ligeiramente para a loucura e retrocesso", por isso, as jovens decidiram agir. "Portugal tem bons corações e se puxarmos uns pelos outros podemos fazer a diferença", defende Maria Reis Rocha. 

As obras estão expostas e podem ser adquiridas no site oficial do projecto. Entre Novembro e Dezembro, as ilustradoras pretendem organizar conversas sobre estas matérias e uma exposição com as ilustrações. Para já, o projecto vai continuar focalizado no mundo digital e na venda da colecção já produz