kendrick-lamar,kanye-west,michael-jackson,hiphop,culturaipsilon,musica,
Entrevista

Bishop Nehru está alegremente confinado no seu quarto

Corria o ano de 2012 e, com apenas 16 primaveras e uma mixtape no bolso, era aclamado como a next big thing do hip-hop americano por pares, crítica e público. Desde aí, um caminho acidentado, ingrato também pelas expectativas geradas, mas a que o nova-iorquino responde com indiferença. O mais importante é continuar a divertir-se e a aprimorar-se como músico — não rapper, sublinha.

Não foi à primeira que a conversa por telefone agendada com Bishop Nehru se concretizou. Dias antes da data acertada, o músico que deve “Bishop” ao nome da personagem interpretada por Tupac Shakur no filme Juice (1992, de Ernest R. Dickerson) e “Nehru” ao líder político indiano camarada de Gandhi, pedirá algum tempo para si, para se refazer — um familiar próximo acaba de falecer devido à covid-19.