Portugal comprou 75 milhões de máscaras a preços mais baixos do que os negociados pela UE

Ministério da Saúde diz que ainda só decidiu adquirir 250 mil máscaras através dos concursos públicos internacionais organizados pela Comissão Europeia porque está a conseguir preços mais reduzidos, prazos mais curtos e condições melhores.

Coreia do Sul
Foto
Manuel Roberto

Depois de a procura de material de protecção individual ter disparado em todo o mundo e de os preços terem escalado de forma abrupta, a partir de meados de Março o Ministério da Saúde (MS) começou a fazer encomendas volumosas de máscaras, fatos e óculos de protecção, luvas, entre outro equipamento. Desde essa altura, em apenas dois meses, o ministério liderado por Marta Temido adquiriu já cerca de 75 milhões de máscaras, sobretudo cirúrgicas (62 milhões) e FFP2 (máscaras mais sofisticadas, com filtro), para poder dar resposta às necessidades decorrentes do combate à pandemia de covid-19.