Nuno Ferreira Santos

Nesta crise a comida não faltou. E na próxima?

Temos um sistema alimentar que aguenta o impacto de uma disrupção global? Há quem considere que a prova de fogo foi ultrapassada, mas há também quem pense que é precisamente a forma como nos alimentamos que está por trás da pandemia. Em Portugal, a maior preocupação são os cereais. É tempo de mudar? Algumas soluções podem ser mais simples do que imaginamos e estão nas mãos do Estado.

Nos primeiros dias da crise provocada pelo novo coronavírus, apareceram pontualmente imagens de supermercados com prateleiras vazias e de pessoas com carrinhos de compras a transbordar de produtos. Ninguém sabia o que esperar e a tendência de muitos foi para encher a despensa de casa, receando uma quebra no abastecimento de produtos de primeira necessidade.