Coronavírus

Um mundo que se abraça à distância

Marcas num passeio lembram que se deve manter a distância de dois metros, em Londres, Reino Unido. Reuters/HANNAH MCKAY
Fotogaleria
Marcas num passeio lembram que se deve manter a distância de dois metros, em Londres, Reino Unido. Reuters/HANNAH MCKAY

As mensagens estão escritas no chão, nas paredes, nas casas de banho. E, se as consegues ler, então estás perto de mais. O distanciamento social entrou nas regras de socialização de países que se cumprimentam à distância, com um aceno; perto, com um aperto de mão; ou muito perto, com dois e três beijos na cara.

Manter uma distância de dois metros é uma das principais armas  para controlar a pandemia de covid-19. Nas filas para o supermercado, dentro da padaria, enquanto se espera por uma refeição quente, dentro do elevador, nos urinóis e até em parques de estacionamento onde dormem pessoas que não têm uma casa para ficar. O resultado são fotografias de um mundo com fronteiras aparentemente distantes, sem toque ou interacção. A distância só diminui quando nos lembramos que estamos a mantê-la por todos. 

"Se consegues ler isto, vai para casa", diz, num graffiti em Berlim, Alemanha.
"Se consegues ler isto, vai para casa", diz, num graffiti em Berlim, Alemanha. EPA/OMER MESSINGER
Para guardar lugar na fila de distribuição de comida, pessoas em Nova Deli, Índia, deixam pertences dentro das marcas distanciadas.
Para guardar lugar na fila de distribuição de comida, pessoas em Nova Deli, Índia, deixam pertences dentro das marcas distanciadas. EPA/STR
À espera de entrar num supermercado em Barcelona.
À espera de entrar num supermercado em Barcelona. EPA/Alberto Estevez
Um sinal no exterior de uma tenda onde pessoas sem abrigo cozinham pede que apenas entrem três pessoas de cada vez, em Washington.
Um sinal no exterior de uma tenda onde pessoas sem abrigo cozinham pede que apenas entrem três pessoas de cada vez, em Washington. Reuters/DAVID RYDER
Um homem desenha com giz a distância mínima que deve ser mantida entre clientes à espera de entrarem numa loja em Harare, no Zimbabue.
Um homem desenha com giz a distância mínima que deve ser mantida entre clientes à espera de entrarem numa loja em Harare, no Zimbabue. EPA/AARON UFUMELI
Uma fila à porta de uma mercearia, em Massachusetts, Estados Unidos da América.
Uma fila à porta de uma mercearia, em Massachusetts, Estados Unidos da América. Reuters/BRIAN SNYDER
A praia de Bondi, em Sidney, está fechada depois de milhares de pessoas terem aproveitado os últimos dias para apanhar sol, desrespeitando as ordens de distanciamento social.
A praia de Bondi, em Sidney, está fechada depois de milhares de pessoas terem aproveitado os últimos dias para apanhar sol, desrespeitando as ordens de distanciamento social. Reuters/LOREN ELLIOTT
Caixas marcam onde as pessoas que entram no elevador devem ficar, num centro comercial na Indonésia.
Caixas marcam onde as pessoas que entram no elevador devem ficar, num centro comercial na Indonésia. EPA/FULLY HANDOKO
Um estafeta espera pelo pedido de entrega, com máscara e luvas, em Sidney.
Um estafeta espera pelo pedido de entrega, com máscara e luvas, em Sidney. Reuters/LOREN ELLIOTT
Cruzes de fita-cola marcam os urinóis que não devem ser usados, num centro comercial em Singapura.
Cruzes de fita-cola marcam os urinóis que não devem ser usados, num centro comercial em Singapura. Reuters/EDGAR SU
Cruzes marcam os lugares onde ninguém se deve sentar, na Indonésia.
Cruzes marcam os lugares onde ninguém se deve sentar, na Indonésia. Reuters/AJENG DINAR ULFIANA
Um professor almoça numa universidade na Coreia do Sul.
Um professor almoça numa universidade na Coreia do Sul. Reuters/KIM HONG-JI
Um dia de sol no parque Greenwich, fotografado à distância.
Um dia de sol no parque Greenwich, fotografado à distância. EPA/NEIL HALL
Nova Iorque apela ao distanciamento social.
Nova Iorque apela ao distanciamento social. Reuters/MIKE SEGAR
O sol nasce em Sidney, na Austrália, para mais um dia de luta na contenção do Sars-CoV-2, causador da covid-19.
O sol nasce em Sidney, na Austrália, para mais um dia de luta na contenção do Sars-CoV-2, causador da covid-19. EPA/Dean Lewins
Sugerir correcção