De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza, restam menos de 30 vaquitas Sea of Shadows

A “cocaína do mar” está a matar as vaquitas, os cetáceos mais fugidios do mundo

Sea of Shadows, realizado por Richard Ladkani e produzido por Leonardo DiCaprio, é uma janela para o caminho de extinção das vaquitas-marinhas, pequenos cetáceos que vivem no Mar de Cortez, no México. Tudo por causa da pesca ilegal da “cocaína do mar”. Documentário estreia-se esta quinta-feira no canal National Geographic Portugal.

Jacques Cousteau chamou ao mar de Cortez, no México, o “aquário do planeta” — e ao ver as imagens do documentário Sea of Shadows (Mar de Sombras, em tradução livre) não é difícil acreditar. Águas calmas e cristalinas, peixes, mamíferos marinhos e aves em abundância, um postal paradisíaco. Este é o único refúgio das vaquitas-marinhas, uma espécie de pequenos cetáceos da qual restam menos de 30 indivíduos, de acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). O filme, com produção de Leonardo DiCaprio, estreia-se esta quinta-feira, às 23h, no canal National Geographic Portugal e quer dar a conhecer este animal em perigo.

A vaquita-marinha (Phocoena sinus) é da família das toninhas, cetáceos pequenos e fugidios. Até Richard Ladkani ter filmado uma durante a produção de Sea of Shadows, nunca tinha sido captada em vídeo ou retratada em fotografias próximas, o que levou ao desenvolvimento de uma narrativa que negava a sua existência. De acordo com a IUCN, estes animais estão em “perigo crítico” de extinção, que está a acontecer “em tempo real” na Baixa Califórnia mexicana.

Não se pode falar do problema de sobrevivência das vaquitas sem falar de um outro animal marinho, o totoaba (Totoaba macdonaldi). A bexiga natatória — um órgão semelhante a um balão de ar que ajuda os peixes a moverem-se em diferentes profundidades — deste peixe é uma iguaria muito apreciada pelos chineses, que acreditam nos seus poderes medicinais. Uma vez que a pesca do totoaba é ilegal no mar de Cortez, na costa Oeste do México, o mercado negro chega a vender um quilo de bexigas natatórias deste peixe por 100 mil dólares (cerca de 90 mil euros). As redes, lançadas ilegalmente durante a noite por barcos de pescadores furtivos, apanham vaquitas, que acabam por morrer ao não conseguirem emergir para respirar.

“O mar de Cortez está debaixo de um ataque. Milhares de redes de pesca ilegal criam um muro da morte para apanhar o ameaçado totoaba”, assim começa o documentário. “Um mercado negro multimilionário destrói toda a vida marinha pelo caminho”, traficando depois o órgão do peixe para a China, naquilo que aparenta ser um verdadeiro cartel. O totoaba é apelidado pelos pescadores mexicanos como “a cocaína do mar”, uma vez que a captura e o tráfico implicam crime organizado, corrupção, violência, conflitos políticos e pobreza.

“Foi o filme mais perigoso que já fizemos”, admite Richard Ladkani, documentarista que conta mais de 50 filmes no currículo, em entrevista ao P3. “Achámos que seria mais um sobre a extinção de uma espécie, no registo de vida selvagem. Mas muito rapidamente percebemos que seria uma história de crime. Sentimos o perigo e a ameaça assim que chegámos ao México”, recorda. Durante quase nove meses, a equipa de 12 pessoas saltou de hotel em hotel para fugir às intimidações dos traficantes de totoaba e viu-se obrigada a contratar guarda-costas.

PÚBLICO -
Sea of Shadows

“Como é tão valiosa, o tráfico da bexiga natatória do totoaba acaba por substituir o comércio ilegal de cocaína na área porque é muito mais fácil pescar e vender o peixe do que traficar cocaína para fora do país”, resume o realizador. Sea of Shadows venceu o prémio do público no Festival de Cinema de Sundance e, de acordo com imprensa norte-americana, está na corrida para a lista de nomeados aos Óscares de 2020.

Depois de o documentário ter sido exibido em festivais e salas de cinema, Ladkani diz que há “boas e más notícias” para as vaquitas-marinhas. “Há um mês, uma equipa de cientistas identificou seis animais, dois deles crias. Quando há bebés, isso significa que o ecossistema está saudável”, refere, entusiasmado. Também recentemente, o Governo mexicano destacou 600 elementos das forças armadas para a zona do mar de Cortez, incluindo 14 navios de guerra. A má notícia, contudo, é que o “cartel está mais forte do que nunca”, pelo que haverá uma “verdadeira batalha”, acredita o realizador. A organização ambiental Sea Sheperd — que tem três navios na área para proteger as vaquitas e retirar do mar o máximo de redes possível — identificou 60 navios de pescadores furtivos de totoaba.  

PÚBLICO -
Foto
As redes de pesca ilegal de totoaba retiradas do mar pela organização ambiental Sea Sheperd Sea of Shadows
PÚBLICO -
Foto
Um quilo de bexigas natatórias do totoaba chega a custar 100 mil dólares no mercado negro Sea of Shadows

Sea of Shadows é a segunda colaboração de Richard Ladkani e Leonardo DiCaprio, através da produtora do actor e ambientalista Appian Way (a primeira foi em The Ivory Game, documentário que denuncia o comércio de marfim). Mas não será a última: o realizador e DiCaprio já estão a trabalhar num novo documentário, também sobre uma “importante questão ambientalista” que não pode, ainda, ser revelada.