Candidatura de Caretos de Podence a Património Imaterial com avaliação positiva da UNESCO

A decisão ainda não é final, mas UNESCO considerou “exemplar” a candidatura e elogiou Portugal pela qualidade do dossier apresentado.

Foto
Caretos de Podence Bruno Simões Castanheira/ARQUIVO

A candidatura dos Caretos de Podence a Património Cultural Imaterial da Humanidade foi considerada “exemplar” pela UNESCO, num reconhecimento “raro”, segundo o embaixador António Sampaio da Nóvoa, aguardando-se agora a decisão final em Dezembro.

“Estamos muito contentes: a avaliação dos peritos, que é pública a partir de hoje [sexta-feira], recomenda a inscrição do Carnaval de Podence, dos caretos e de todas as festividades na lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade”, disse à Lusa o embaixador de Portugal junto da Organização das Nações Unidas para a Ciência, Educação e Cultura (UNESCO), Sampaio da Nóvoa, salientando que a decisão final só será tomada em Bogotá, na Colômbia, durante a reunião do Comité Intergovernamental de salvaguarda do Património Imaterial da Humanidade, que terá lugar de 9 a 14 de Dezembro.

Cabe a este comité independente, constituído por representantes de diversos países, decidir novas inclusões nesta lista onde Portugal já viu serem inscritos o Fado, o Cante Alentejano e os Bonecos de Estremoz, além de duas outras candidaturas que partilha, respectivamente, com 18 e 7 países: a Falcoaria e a Dieta Mediterrânica. No encontro de Bogotá serão analisadas cerca de 40 candidaturas, entre elas a morna de Cabo Verde e a dança tradicional Bumba Meu Boi, típica da região no Maranhão, no Brasil.

O parecer positivo conhecido esta sexta-feira sobre a candidatura portuguesa, para além de recomendar a inscrição das “Festas de Inverno Carnaval de Podence”, elogia o país pela qualidade do dossier apresentado. “Louvamos o Estado, mas especialmente a comunidade de Macedo de Cavaleiros por ter apresentado uma nomeação exemplar, mostrando como uma pequena comunidade pode responsabilizar-se pelo seu património cultural através das suas gentes e explicando como o papel dos géneros foi evoluindo em resposta a mudanças sociais e económicas”, pode ler-se no parecer.

Reconhecimento “raro”

Este é um reconhecimento “raro” por parte da UNESCO, segundo o embaixador, que vem reforçar a importância do papel da cultura nas comunidades do interior do país. “É um reconhecimento muito importante. É muito raro os peritos da UNESCO utilizarem designações como exemplar numa candidatura, e foi sublinhado o envolvimento da comunidade [...]. É um elemento que pode ajudar a renovar zonas do interior de Portugal, percebendo a dimensão que a cultura tem enquanto património histórico, mas também o valor económico de renovação de espaços e tradições, que pode trazer vida”, indicou o antigo reitor da Universidade de Lisboa.

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, reagiu ao parecer positivo da UNESCO e felicitou “todas e todos que construíram a candidatura e que mantêm vivo e dinâmico o património cultural português”. “No bom caminho para mais uma distinção mundial do nosso património”, escreveu Graça Fonseca numa publicação no Facebook, anunciando que “o comité técnico de peritos da UNESCO recomendou a inscrição do ‘Carnaval de Podence' na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade”. Em Dezembro, chegará a decisão final. 

Até lá, Sampaio da Nóvoa diz que haverá “muitas conversas” para garantir que a recomendação se torne efectiva, embora as expectativas sejam “muito altas” tendo um parecer tão positivo por parte da comissão de técnicos independentes. A candidatura portuguesa foi apresentada em Março de 2018 e o promotor foi o Município de Macedo de Cavaleiros, em parceria com a Associação dos Caretos de Podence. O processo desta candidatura foi iniciado em 2014, com uma equipa técnica e científica liderada por Patrícia Cordeiro.

Sugerir correcção