Um novo espaço para usufruir da paisagem e “sentir-se livre”

O Parque Urbano de São Paio, em Gaia está, naturalmente, a emergir entre a antiga Seca do Bacalhau, em Canidelo, e a Reserva Natural Local do Estuário do Douro, no Cabedelo. O arquitecto responsável é Sidónio Pardal, que espera criar um “espaço livre”.

Foto
D.R.

Para o urbanista e arquitecto paisagista Sidónio Pardal, responsável pelo projecto do Parque da Cidade do Porto e do novo Parque Urbano de São Paio, em Vila Nova de Gaia, um parque é um espaço livre, para estar à vontade, a beber a estética da paisagem”. Em contraponto com o “excesso de informação” das cidades, a experiência de usufruir de um parque passa, essencialmente, por ser um “espaço despojado de estímulos”.

Questionado sobre o projecto, Sidónio Pardal começou por explicar o que diferencia um parque de um jardim: “os parques não são jardins – são mosaicos de paisagens.” De forma quase metafórica, fala dos jardins como espaços de ostentação, onde se exibem espécies botânicas e ornamentos artificiais. O conceito de parque, pelo contrário, deixa em aberto uma constante construção feita naturalmente pela paisagem envolvente.

PÚBLICO -
Parque de São Paio D.R.

Sobre a concepção do projecto, o presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, recorda uma conversa com o arquitecto: “Questionei-o sobre quando estaria pronto e ele disse-me: ‘daqui a uns 30 anos. O parque da cidade do Porto ainda não está pronto.’” Sidónio Pardal justifica que é um tipo de construção que se faz por etapas e que: “A natureza também vai construir o parque, não se trata apenas de uma obra”.

O que esperar deste novo espaço?

Localizado num espaço privilegiado, contíguo à Reserva Natural Local do Estuário do Douro, será o prolongamento de uma zona verde que acolhe mais de 200 espécies de aves. De acesso gratuito e não condicionado, é, neste momento, o maior parque urbano projectado para a Área Metropolitana do Porto.​

Um novo local para respirar, para usufruir da paisagem, para descansar corpo e mente. Sidónio Pardal reconhece que é difícil criar estes “espaços de liberdade” mas assegura que o real valor do parque depende dessa experiência “plena e livre” de usufruir do “prazer de estar no Mundo”.

PÚBLICO -
Projecto do Parque de São Paio D.R.

Neste momento, o projecto está numa segunda fase, de criação de infra-estruturas básicas de acesso. Em breve, estará disponível para todos os que queiram usufruir livremente deste “espaço livre”.

PÚBLICO - Vista aérea da área do Parque de São Paio
Vista aérea da área do Parque de São Paio D.R.
PÚBLICO - Esquisso do Projecto do Parque São Paio
Esquisso do Projecto do Parque São Paio D.R.
PÚBLICO -
D.R.
Fotogaleria
D.R.