Brian Snyder/REUTERS

“O plástico não vai desaparecer.” Agora, é preciso mudar comportamentos

Numa altura em que a consciencialização para as questões ambientais é cada vez maior, a indústria do plástico em Portugal garante que este material veio para ficar e que a solução passa por uma mudança de comportamentos.

“Desde que saímos de casa de manhã até ao fim do dia tocamos, se calhar, mais de cem vezes em peças de plástico.” Amaro Reis, presidente da Associação Portuguesa da Indústria do Plástico (APIP), não tem dúvidas que o plástico, um dos materiais que mais sucesso teve no século XX e que diz ser agora alvo de uma “diabolização”, traz vantagens à sociedade e está seguro de que “não vai desaparecer”.