Câmara de Coimbra quer ligar as pontas da cidade com uma ciclovia

Actualmente existem 2,9 quilómetros de via ciclável. Autarquia quer transformá-los em 17,4 quilómetros, ligando a Portela a Coimbra B.

Foto
Rui Gaudencio

O município de Coimbra quer multiplicar a extensão de ciclovia na cidade. Dos actuais 2,9 quilómetros, o executivo preparar-se para votar a instalação de mais 14,5 quilómetros de via clicável, aumentando para 17,4 quilómetros o seu total. A avançar, isto significa a ligação da Portela à estação ferroviária de Coimbra B, interligando dois extremos da cidade. Grande parte da extensão de ciclovia acompanha o curso do rio Mondego

A proposta de adjudicação de três contratos para a construção da ciclovia é levada a reunião de Câmara Municipal de Coimbra (CMC) nesta terça-feira, sendo que a intervenção está avaliada em 2,2 milhões de euros e é financiada a 85% por fundos comunitários. “Esta rede viária ligará polos importantes da cidade, tais como estabelecimentos de ensino, de saúde e zonas comerciais, entre outros”, refere uma nota da autarquia enviada às redacções.

A adjudicação dos contratos foi dividida em quatro lotes. Dos dois primeiros, faz parte o troço que liga Coimbra B à Avenida de Conímbriga, já na margem esquerda, e o que acompanha a avenida Urbano Duarte, entre a margem direita do Parque Verde e a Ponte Rainha Santa, ficando a cargo da empresa DIZconstrução. O lote três, que liga a Ponte Rainha Santa ao Vale das Flores será atribuído à Embeiral, ao passo que a empresa Delfim de Jesus Martins & Irmão assumirá a construção do lote quatro, que compreende os troços do Instituto Pedro Nunes, do Pinhal de Marrocos e da Quinta da Portela, e que liga áreas residenciais e o Pólo II da Universidade de Coimbra. Chegada à rotunda da Portela, a ciclovia será ligada ao troço já existente que acede ao futuro interface do Sistema de Mobilidade do Mondego.

O Tribunal de Contas deu já luz verde à operação de instalação das ciclovias, refere a autarquia, pelo que, após a consignação dos trabalhos, os troços devem ficar concluídos no prazo de sete meses.

Nos cerca de três quilómetros de ciclovia já existentes em Coimbra, a CMC inclui o Parque do Vale das Flores, o Parque Manuel Braga, o Parque Verde do Mondego e a ponte Pedro e Inês, uma ligação ciclo-pedonal construída em 2006 no âmbito do Programa Polis.

 “Esta aposta da autarquia pretende potenciar a utilização da bicicleta nas deslocações casa-trabalho e casa-escola, em detrimento da utilização do transporte individual motorizado, com a consequente redução de emissões de gases de estufa, garantindo ainda os níveis elevados de segurança rodoviária”, prossegue a informação da CMC. A implementação de novos troços está incluída no Plana de Acção e Mobilidade Sustentável (PAMUS) do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Coimbra.

Beira-rio em transformação

Se grande parte da via vai acompanhar o curso do Mondego, na margem direita do rio está já a decorrer uma intervenção que vai aumentar e alargar os percursos cicláveis e pedonais entre a Ponte de Santa Clara e o Açude-Ponte. Desde 14 de Janeiro que o trânsito na avenida Aeminium está suspenso por causa dos trabalhos que incluem a estabilização dos muros da margem direita do rio Mondego. A empreitada de 7 milhões de euros deve decorrer ao longo de ano e meio.

Ainda em Novembro, o executivo camarário aprovou a instalação de 83 parqueamentos para bicicletas e cinco oficinas self-service, numa medida que significa um investimento de 120 mil euros para autarquia,

Também no campo das medidas sobre mobilidade aprovadas pelo executivo nos últimos meses, em Dezembro, os vereadores deram luz verde à introdução de um sistema de trotinetas eléctricas partilhadas, a instalar e explorar por uma empresa privada. Depois de uma discussão onde foram levantadas questões como os problemas verificados em Lisboa com o mesmo sistema ou a eventual falta de infra-estruturas em Coimbra para a circulação de trotinetas, a proposta foi aprovada com votos a favor dos vereadores socialistas, com a abstenção do PSD e movimento Somos Coimbra e oposição da CDU.

https://www.publico.pt/2018/10/26/local/noticia/requalificacao-muros-mondego-coimbra-vai-levar-ano-meio-1849018

https://www.publico.pt/2018/11/12/local/noticia/coimbra-vai-instalar-83-estacionamentos-bicicletas-1850853

https://www.publico.pt/2018/11/20/local/noticia/preciso-impor-regras-trotinetas-electricas-1851830