Torne-se perito

Plataforma online guarda contributos da população sobre espécies do Alto Minho

O Bioregisto já tem, neste momento, mais de quatro dezenas de contribuições efectuadas por cidadãos.

Foto
Paulo Pimenta

Uma plataforma online criada no portal do Centro de Monitorização de Interpretação Ambiental (CMIA) de Viana do Castelo está a reunir os contributos fotográficos da população sobre a biodiversidade do Alto Minho, informou nesta segunda-feira a Câmara local.

O Bioregisto, explicou a Câmara Municipal, parceira no projecto ambiental, "regista, neste momento, mais de quatro dezenas de contribuições efectuadas por cidadãos dos concelhos de Viana do Castelo, Braga, Ponte de Lima, Felgueiras e Fafe".

Aquela ferramenta para registo de observações da biodiversidade tem "um objectivo científico, mas é destinada a todos os públicos, permitindo a identificação de espécies de todo o distrito de Viana do Castelo".

Na nota enviada nesta segunda-feira, o município adiantou que "depois de enviar o registo fotográfico, o autor do mesmo tem acesso a um resumo sobre a espécie fotografada, recebendo ainda informações sobre a sua Origem, o Reino, Classe, Ordem, Família, Género, Espécie, entre outros dados, como o Nome Vulgar".

Entre as 40 contribuições já registadas naquela plataforma encontram-se exemplares da genciana-das-turfeiras, perpétua-das-areias, cinzentinha, azulinha, borboleta do nabo, bela dama americana, gafanhoto de asas azuis, gaiteiro negro, estrela-do-mar espinhosa, entre outros.

"O objectivo desta plataforma é promover a divulgação do património biológico da região, mas também zelar pela sua conservação, através do conhecimento", sustentou a autarquia da capital do Alto Minho

Naquele serviço, "estão disponíveis informações sobre espécies de plantas, insectos, répteis, aves, mamíferos e invertebrados marinhos, entre outros e, por exemplo, o texugo, o sardão, a rola-do-mar e a rã-ibérica".

No Bioregisto, "o utilizador encontra um conjunto de características de cada espécie - se são nativas ou não desta região, se estão classificadas com estatuto de conservação, segundo as normas portuguesas e segundo as normas da IUCN (Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais), assim como o histórico de todos os cidadãos que contribuíram para estes registos".

O CMIA de Viana do Castelo foi inaugurado a 21 de Junho de 2007, nas Antigas Azenhas de D. Prior (moinho de maré de Viana do Castelo), no âmbito do Programa Polis.

Sugerir correcção