Da esquerda à direita, elogios a Semedo

As reacções à morte do deputado do Bloco de Esquerda João Semedo chegam de todos quadrantes.

,
Foto
João Semedo morreu esta terça-feira Enric Vives-Rubio

"Médico de profissão e defensor do Serviço Nacional de Saúde, João Semedo foi um homem de causas, politicamente empenhado desde muito jovem, com um activismo político anterior ao 25 de Abril. Militante do PCP durante muitos anos, partido que abandonou no início da década de noventa, chegou mais tarde a coordenador do Bloco de Esquerda. Foi pelas escolhas que fez que se destacou, sempre com uma afabilidade acentuada, convencendo pelo exemplo, afirmando-se pela força do seu pensamento lúcido e clarividente. Até a morte encarou com a firmeza e a bondade que o caracterizava, tendo afirmado numa das suas últimas entrevistas que viveu como quis e que de nada do que é importante se arrependeu. O país sentirá a sua falta, o Presidente da República honra a sua memória".
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República

"É com muita tristeza que recebo a notícia do falecimento de João Semedo. É uma daquelas notícias que, embora não sendo inesperadas, preferíamos continuar sem receber. O médico João Semedo foi uma das principais personalidades políticas da última década. Como dirigente e coordenador do Bloco de Esquerda, contribuiu decisivamente para a consolidação do partido e para a actual solução de governo. Na Assembleia da Republica deixa uma imensa saudade. Foi sempre um homem de diálogo e de convicções. A sua defesa cívica e política do Serviço Nacional de Saúde perdurará na memória de todos. À Família e amigos de João Semedo, ao seu partido, o Bloco de Esquerda, aqui deixo a minha pública homenagem".
Eduardo Ferro Rodrigues, Presidente da Assembleia da República

"O PS e os socialistas receberam com profunda tristeza a notícia. João Semedo foi um combatente pela liberdade, um democrata e um resistente até ao fim por várias causas. Como deputado foi um lutador sempre leal. Apesar das diferenças, foi um político com quem sempre deu gosto partilhar e discutir as nossas posições. Tocou no coração de pessoas de todo o espectro político. Vamos respeitar o seu legado político. Vamos lembrar sempre o seu exemplo na luta pela dignidade da vida humana".
Maria Antónia Almeida Santos, porta-voz do PS

"Era a notícia que todos aguardávamos, mas que ninguém queria receber. Infelizmente, apesar do João dizer que a morte o apanharia feliz, a nós deixa-nos tristes. Era um homem sério e bom, dedicado à causa publica e com um sentido muito apurado do que é o dever de cada um de nós para com os outros. O Semedo estará sempre no nosso pensamento, pelo exemplo de vida, pela coragem com que lidou com a doença, pela dignidade como soube aceitar o fim da vida e como morreu".
Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde

"[Era] um homem incansável, com grande capacidade de trabalho e determinação como poucas pessoas têm. Isso ficou muito visível no contributo que deu nas comissões de inquérito na Assembleia da República, inaugurando uma forma diferente de fazer esse trabalho. Ficará para sempre o seu contributo na comissão de inquérito ao BPN por exemplo esse trabalho foi reconhecido (...). Nos últimos tempos participou em duas enormes campanhas: uma pela nova lei de bases da saúde e outra em que se empenhou com muito afecto e vontade que foi a despenalização da morte assistida". 
Mariana Mortágua, deputada do BE

"Perante a notícia do falecimento de João Semedo, o PCP endereça à família e à Direcção do Bloco de Esquerda, as suas condolências"
Gabinete de imprensa do PCP

"Foi uma personalidade muito marcante na vida política nacional. Desenvolveu uma actividade muito relevante, designadamente no plano parlamentar e particularmente na área a que se dedicava muito, que era a das políticas de saúde. Tivemos com ele, naturalmente, divergências e convergências, mas sempre uma excelente relação".
António Filipe, deputado do PCP

"O Grupo Parlamentar teve oportunidade de privar directamente com João Semedo, pelo que destacamos a sua simpatia e simplicidade no trato com as outras pessoas, assim como a sua determinação e dedicação a áreas tão relevantes como a saúde. João Semedo foi um homem profundamente interventivo, quer do ponto de vista político, quer do ponto de vista cívico e deixou inegável marca no seu percurso. Sempre que a sociedade perde um membro, com esta capacidade de participação, é sempre sentida a sua falta. O Partido Ecologista Os verdes endereça as mais sentidas condolências à sua família e ao Bloco de Esquerda, partido onde militava."
Partido Ecologista Os verdes

"Militante de esquerda desde sempre, João Semedo tornou-se uma das principais figuras da esquerda portuguesa deste início de século. Teve um papel essencial na luta pela dignidade na vida e na morte, através da criação do Testamento Vital, da melhoria dos cuidados paliativos, da reflexão – em conjunto com António Arnaut – sobre o Serviço Nacional de Saúde e da defesa da despenalização da morte assistida. O seu contributo político fica marcado pelo grande empenho, luta e integridade. O LIVRE apresenta o seu voto de pesar à família, aos amigos e aos seus camaradas do Bloco de Esquerda".
Partido LIVRE

"No dia da sua morte, e celebrando a sua vida, quero falar daquilo que está para além das divergências na política, que é o amor à liberdade, o respeito, as convicções, a coragem, e esses são valores que eu reconheço na vida do João Semedo, permanecem na minha memória, e hoje curvo-me perante essa memória"
Isabel Galriça Neto, dirigente do CDS-PP

"Sobram dedos numa mão para contar as pessoas boas, sérias e inteligentes como o João Semedo que conheci na vida. Que imensa tristeza".
José Eduardo Martins, PSD

"Creio que não concordávamos numa ideia. Mas sempre o estimei como um homem sério. Era uma pessoa cordata e um adversário leal. Enfrentou a doença e as suas dificuldades com grande coragem e ainda maior naturalidade. Entristece-me a sua morte. Deixo os meus sentimentos à sua família e aos amigos mais próximos".
José Ribeiro e Castro, ex líder do CDS-PP

"Morreu o João Semedo. Partiu um homem bom. Não tenho as meras palavras de circunstância destas ocasiões. Fomos deputados pelo mesmo Distrito, na mesma altura. Debatemos inúmeras vezes. Quase nunca concordávamos, mas fazíamos pontes. Sempre respeitei a sua faceta de político convicto e admirei a sua enorme coragem. Vai fazer falta".
Diogo Feio, vice-presidente do CDS

"A Federação Nacional dos Médicos expressa o seu pesar à família, amigos e companheiros de João Semedo, lembrando o seu profissionalismo enquanto médico e a sua luta política pela defesa do Serviço Nacional de Saúde público, universal e gratuito, como recentemente defendeu, em conjunto com António Arnaut, com a sua proposta para uma nova Lei de Bases da Saúde".
Comissão executiva da Federação Nacional dos Médicos

Notícia actualizada:
o título inicial e o conteúdo da notícia foram alterados uma vez que surgiram mais reacções por parte do PCP (e de outras entidades).?

Sugerir correcção