Papa associa-se à peregrinação ao Santuário de Fátima onde esteve há um ano

"Santíssima Virgem de Fátima, dirige o teu olhar sobre nós, sobre nossas famílias, sobre o nosso país, sobre o mundo", escreveu Francisco na rede social Twitter.

Santuário de Fátima
Foto
LUSA/RICARDO GRACA

O Papa Francisco associou-se este domingo à peregrinação internacional ao Santuário de Fátima, onde esteve há um ano para canonizar Francisco e Jacinta Marto, por ocasião do Centenário das Aparições.

"Santíssima Virgem de Fátima, dirige o teu olhar sobre nós, sobre nossas famílias, sobre o nosso país, sobre o mundo", escreveu Francisco na rede social Twitter.

Há um ano, no santuário, o Papa afirmou que "não podia deixar de vir" a Fátima, porque Maria traz "esperança e paz", agradeceu aos peregrinos por o acompanharem e lembrou os doentes, presos, pobres e desempregados.

As palavras de Francisco foram recordadas esta manhã pelo bispo da Diocese de Leiria-Fátima, António Marto. "Todos nós recordamos que há um ano, precisamente neste dia 13 de maio, estava aqui connosco o papa Francisco a celebrar o Centenário das Aparições e a canonização dos santos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto", afirmou António Marto, no final da missa da peregrinação internacional aniversária de 12 e 13 de maio ao maior templo do país.

O bispo, também vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, salientou que a presença de Francisco "está ainda viva". "As suas palavras, aqui, ecoam nos nossos corações e ressoam neste santuário tão grande quanto o mundo, aquelas palavras que ficaram gravadas na memória e no coração de cada um de nós", destacou o prelado da Diocese de Leiria-Fátima.

Citando o papa Francisco, António Marto disse: "Temos Mãe de ternura e de misericórdia, em cujo rosto e em cujo coração se reflecte para nós como num espelho a beleza da ternura e da misericórdia de Deus por cada um de nós, ternura e misericórdia que têm a força capaz de atrair e trazer aqui uma multidão imensa como esta que me é dada a contemplar, que enche completamente o nosso recinto até transbordar por todos os lados e que foi capaz de estar aqui num silêncio impressionante em atitude de adoração".

De imediato ouviram-se palmas no recinto de oração, onde assistiram às celebrações cerca de 300 mil peregrinos, aplausos que se repetiram após o bispo ler a mensagem que o papa Francisco hoje colocou na rede social Twitter, associando-se à peregrinação.

"Nós não esquecemos o papa Francisco, mas o papa Francisco hoje não se esqueceu de Fátima", destacou António Marto que, após ler a mensagem do chefe de Estado do Vaticano, adiantou que de Fátima lhe é enviada "uma saudação muito afectuosa" e "toda a nossa gratidão."

António Marto agradeceu, depois, a presença dos peregrinos pelo "testemunho da fé", assim como ao presidente da peregrinação, o cardeal John Tong, bispo emérito de Hong Kong. "Esta nossa peregrinação tem uma característica especial, vivemo-la hoje de um modo particular unidos na fé aos nossos irmãos e irmãs chineses, a todos os católicos chineses, de Hong Kong, da China continental, de Macau, de Taiwan e outros dispersos pelo mundo", assinalou António Marto, para acrescentar que "todos esses irmãos católicos chineses estão hoje aqui representados" no cardeal.

O bispo agradeceu ainda ao bispo emérito de Hong Kong ter trazido "o testemunho da firmeza da fé dos católicos chineses" e a mensagem de esperança, "hoje tão necessária" quando o modo de comunicar as notícias parece querer "convencer que o mundo é todo sombrio e que já não há esperança".

Dirigindo-se ainda ao cardeal, António Marto pediu que leve "um abraço para todo o povo da China, um abraço tão grande como de Fátima até Hong Kong".

Cristo visível na sociedade

Em Fátima, o cardeal John Tong pediu aos peregrinos para que através do modo de viver e exemplo façam com que Cristo seja visível na sociedade. "Com o nosso modo de viver e o nosso exemplo devemos fazer com que Cristo seja visível hoje na nossa sociedade", disse o cardeal na homilia que escreveu, mas lida pelo reitor do santuário, padre Carlos Cabecinhas.

O bispo emérito de Hong Kong apontou o exemplo da Virgem para dizer que Maria ajudará a "levar Cristo ao mundo e o mundo a Cristo", tornando as pessoas abertas e atentas "às necessidades dos outros" e a partilharem "o tesouro e a alegria" da fé.

"Jesus, com o seu Espírito, forma em nós uma nova humanidade. Ele próprio nos impele na procura da liberdade, da dignidade, da justiça, da responsabilidade, ou melhor, fortalece o nosso próprio desejo de construir um mundo mais justo e mais unido", afirmou o prelado.

Na missa, que foi concelebrada por 227 sacerdotes e 18 bispos, o cardeal John Tong referiu-se depois à comunidade de crentes que, "consciente de ter recebido um mandato divino, plena de fervor missionário e de alegria pascal, torna-se no mundo testemunha da nova realidade da vida realizada em Cristo".

"Esta nova realidade manifesta-se nos pequenos gestos que realizamos nas nossas vidas quotidianas, nas realidades terrestres e nos nossos compromissos de cada dia que fazemos com o novo Espírito do Senhor. Acima de tudo, quando nos dedicamos à libertação espiritual e à promoção humana dos outros", salientou.

A peregrinação internacional aniversária, que terminou este domingo, um ano depois do Centenário das Aparições, da canonização de Francisco e Jacinta Marto e da visita do papa Francisco, tem como tema "Tempo de graça e misericórdia: dar graças pelo dom de Fátima".

Segundo informação do santuário, cerca de 37 mil peregrinos deslocaram-se a pé para Fátima para a peregrinação, número que superou as expectativas. Anunciaram-se ainda no santuário 148 grupos, com um total de nove mil peregrinos de 26 países.

Sem incidentes de maior

A GNR informou que até às 9h00 deste domingo não havia registo de incidentes de maior. "Temos as ocorrências habituais, registos muito baixos felizmente. Não tivemos incidente nenhum de maior", afirmou aos jornalistas o capitão Carlos Canatário, comandante do Destacamento de Tomar da GNR, adiantando que houve "alguns apoios em termos de socorro às pessoas" que estavam no interior do recinto de oração na noite de sábado.

"Tivemos registo apenas de um furto de carteira" no sábado, referiu ainda o comandante, para assinalar que "correu tudo dentro da normalidade, apesar de ter sido exercida uma pressão muito forte por parte das pessoas a quererem entrar no santuário", porque "efectivamente estava muito, muito lotado".

Já a Protecção Civil informou que desde sexta-feira, quando foi instalado o dispositivo "Operação Fátima 2018", até às 8h00 deste domingo foram registadas 68 emergências pré-hospitalares e 277 peregrinos assistidos. Foram, ainda, retiradas 18 pessoas do hospital de campanha, instalado no Colégio de São Miguel, para unidades hospitalares da região, nomeadamente Leiria.