Marta Soares exige demissão de Bruno de Carvalho, Bruno de Carvalho quer demissão de Marta Soares

O presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting entende que o presidente do clube não tem condições para se manter no cargo. E admite “tomar as rédeas” se Bruno de Carvalho não sair voluntariamente. Presidente do clube reage através do Facebook e diz que é ele quem vai pedir a demissão de Marta Soares.

Jaime Marta Soares após a Assembleia Geral do Sporting onde, em Fevereiro, Bruno de Carvalho viu reforçada a sua liderança
Foto
Jaime Marta Soares após a Assembleia Geral do Sporting onde, em Fevereiro, Bruno de Carvalho viu reforçada a sua liderança LUSA/NUNO FOX

A crise no Sporting sofreu uma evolução significativa nesta segunda-feira de manhã: o presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting, Jaime Marta Soares, exigiu a demissão de Bruno de Carvalho da presidência dos “leões”, ameaçando convocar os sócios para o destituir caso o presidente não deixe o cargo pelo próprio pé. A reacção do presidente do clube não demorou. Bruno de Carvalho respondeu através do Facebook para dizer que é ele que vai pedir uma nova assembleia geral e a saída do presidente da mesa da Assembleia Geral.

“Com Bruno de Carvalho não há paz no Sporting”, disse Jaime Marta Soares, em declarações à TSF. O presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting entende que “estão esgotadas as hipóteses da manutenção da actual presidência”. “Os sócios deram o sinal. Os sócios disseram aquilo que querem”, afirmou, referindo-se aos lenços brancos deste domingo em Alvalade.

Em causa está a polémica que envolve Bruno de Carvalho e jogadores, criticados pelo presidente do Sporting após a derrota contra o Atlético de Madrid, por 2-0, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa, que se jogou na capital espanhola na quinta-feira. Os atletas não gostaram e responderam através de um comunicado em que deixaram patente o “desagrado” pelas críticas feitas em praça pública. Em resposta, o líder “leonino” acusou-os de serem “meninos amuados” e anunciou a suspensão de parte substancial do plantel.

Todos os jogadores que subscreveram o comunicado e que se encontravam disponíveis – começando pelo “capitão”, o guarda-redes Rui Patrício – acabaram, no entanto, por defrontar e vencer o Paços de Ferreira em casa por 2-0. Bruno de Carvalho sentou-se no banco, mas foi assobiado pelos adeptos; a equipa, por outro lado, foi aplaudida. No final do jogo, Jorge Jesus pôs-se ao lado dos seus atletas: “Nunca tinha passado por uma situação como esta. Tive que perceber que tinha que defender um clube. Eu é que estive sempre do lado dos jogadores.”

Bruno de Carvalho foi depois à sala da conferência de imprensa para desvalorizar os lenços brancos e as invectivas que lhe foram dirigidas a partir das bancadas de Alvalade. “As pessoas são livres de se expressarem e de serem ingratas, como é lógico. Os grupinhos são os de sempre: os da [bancada] Poente e da [bancada] Nascente. São uma organização que significa 10%”. “Vim aqui porque acho que nós temos o direito de mostrar os nossos descontentamentos. Agora, o que não é admissível é o facto de me adjectivarem. Se querem demissão, há um sítio próprio. Agora, não aceito que me chamem nomes”, disse.

É esse “sítio próprio” que está agora a mexer: a Assembleia Geral do Sporting. Jaime Marta Soares deu conta à TSF de que vai marcar uma reunião da mesa da Assembleia Geral do clube esta segunda-feira, para decidir o que fazer caso o presidente não se demita.

“Não entendemos, porque não conseguimos entender, como é que de um momento para o outro há uma inversão tão grande de práticas e atitudes. Será uma situação de cansaço ou de instabilidade emocional que às vezes acontece ao mais forte dos cidadãos. Na minha opinião só algo de anormal poderá efectivamente estar na origem”, afirmou Marta Soares àquela rádio, depois de elogiar a “gestão exemplar” de Bruno de Carvalho à frente do Sporting.

Bruno de Carvalho vai pedir assembleia geral

O líder dos “leões” respondeu às declarações do presidente da mesa da Assembleia Geral através do Facebook. “O dr. Jaime Soares criou a maior confusão vista na história do Sporting CP ao conduzir de forma infantil e incompetente uma AG [assembleia geral]. Com essa sua actuação provocou a necessidade na direcção de fazer uma nova AG e eu a vir a público a defender um homem que não tem defesa possível”, começou por escrever, nesta segunda-feira de manhã, para acrescentar que é ele quem pede a demissão de Jaime Marta Soares.

“Este foco de problemas vem agora ameaçar-me. Eu tinha-o avisado que mais uma dele e quem pediria a sua saída seria eu e não só os sócios como o fizeram de forma esmagadora, só o mantendo porque eu o pedi. Escusa de reunir a MAG [mesa da assembleia geral], que se diga nunca se reviu nele nem esteve a seu lado, pois serei eu a pedir novamente à direcção para se fazer uma AG para os sócios se voltarem a pronunciar sobre nós e neste momento, separadamente, sobre os presidentes da MAG e do CFD [Conselho Fiscal e Disciplinar]. Se os sócios não tiverem a memória curta sairá pela porta pequena como em Poiares”, afirmou.

A polémica originou entretanto uma baixa. Jorge Gaspar, vogal do CFD do clube, enviou uma carta de demissão renunciando ao cargo. As “decisões institucionais do presidente do Sporting Clube de Portugal tornam inevitável a apresentação da minha renúncia ao lugar de vogal do CFD do nosso clube”, escreveu Jorge Gaspar na sua carta de demissão, que o Observador divulgou. 

Bruno de Carvalho também reagiu à saída de Jorge Gaspar, que “teve a sua carta de demissão ‘miraculosamente’ a chegar aos jornais...” “Diz ele que ‘esteve sempre contra mim e que isso estava nas actas do CFD’... Faz um ano, agradeceu a honra do convite. Deve ter-se enganado na pessoa de certeza... Devia pensar que ao telefone estava o Madeira Rodrigues. Ou estão agora a alterar as actas, ou então finalmente percebo porque se arrastam, indefinidamente, os processos... Hoje parece que vão fazer um comunicado, vão ver os estatutos, vão ver a forma de me deitar um pouco mais abaixo... Graças a Deus que acabou o método de Hondt. Como dizem os adeptos, os dirigentes passam e fica o clube. Venha de lá esse mimo”, escreveu o presidente do Sporting.

Num post anterior no Facebook, Bruno de Carvalho tinha acusado um jogador — que não identifica — de difundir uma fotografia sua, no departamento médico de Alvalade, a receber tratamento devido à dor de costas que sentiu no final do jogo deste domingo.