Fotografia

Esta é a paisagem de uma Rússia pós-soviética

Fotogaleria

Explorar as paisagens russas de modo a reflectir a cultura pós-soviética actual: este foi o ponto de partida de sete fotógrafos que retrataram os horizontes daquele país. A exposição Nova Paisagem vai estar no Centro Boris Yeltsin, em Yekaterinburg, a partir de 15 de Março. Reflectindo sobre as alterações na sociedade e na cultura através do cenário retratado, o conjunto de projectos tem como objectivo reproduzir a Nova Paisagem. Através do contraste entre as construções e o natural, a expansão urbana e a construção de centros comerciais e escritórios de trabalho, os sete artistas retrataram o pretendido com um olhar singular.

 

Em Less than One, Alexander Gronsky explora as regiões ultraperiféricas da Rússia, onde a média populacional é inferior a uma pessoa por metro quadrado. Arcadia, por Anastacia Tsayder, revela uma (estranha) coexistência equilibrada entre o humano e o natural. Liza Faktor, apesar de ser a mais nova com a máquina na mão, focou-se na fronteira entre a Rússia e a Sibéria, onde registou uma área que foi inicialmente preparada para receber infra-estruturas de uma economia centralmente planeada mas que, com o passar dos anos, nunca as chegou a receber. Os trabalhos de Max Sher e Petr Antonov, por outro lado, são os que têm traços mais comuns, explorando mudanças idênticas através de um cenário já construído que reflecte a existência de uma estética que vai ganhando terreno. Sergey Novikov, por outro lado, propôs-se explorar as paisagens de uma Rússia contemporânea, onde os campos de futebol predominam, não fosse o país receber o Mundial 2018. Por fim, Documents of Nature, com a assinatura de Valeri Nistratov, que retrata o capitalismo nascente nos subúrbios rurais e urbanos de Moscovo.

 

Observando como as paisagens construídas são transformadas pela transição do industrial para o pós-industrial, de uma economia planeada para o mercado livre, do tempo da União Soviética para a era pós-soviética, os sete projectos retratam uma transformação profunda e sem precedentes em escala e em ritmo.