Jeffrey Tambor abandona Transparent após acusações de assédio

O actor também conhecido pelo papel em Arrested Development comunicou este domingo a decisão de sair da série da Amazon por ele protagonizada. Ainda não se sabe que destino terá Maura Pfefferman, a personagem por ele interpretada.

Foto
Jeffrey Tambor Mario Anzuoni/Reuters

Desde 2014 que Jeffrey Tambor dava corpo a Maura Pfefferman em Transparent, uma série do serviço de streaming Amazon Prime que cá passa no TVSéries. Maura, antes conhecida como Mort, é uma mulher transgénero que se assume como tal e começa a transição de género em idade avançada, numa viagem de descoberta que vira a vida da família, que inclui ex-mulher e três filhos, e as pessoas que os rodeiam do avesso. Agora, por causa de duas acusações de assédio sexual e com uma investigação em curso levada a cabo pela Amazon, Tambor decidiu sair da série. 

Em declarações ao site Deadline no domingo, Tambor disse que ter feito o papel de Maura foi um "dos maiores privilégios e das maiores experiências criativas" da sua vida, mas "o que se tem tornado claro ao longo das últimas semanas" é que "este já não é o mesmo trabalho" no qual ele tinha embarcado há quatro anos, culpando a "atmosfera politizada" que tinha tomado conta do set da série. Também falou do seu "remorso" por qualquer acção sua "ter alguma vez sido mal-interpretada por alguém como agressiva", mas deixou claro que "a ideia de que eu deliberadamente assediaria alguém é simples e absolutamente falsa". Antes tinha dito, sobre as acusações: "Eu sei que nem sempre tenho sido a pessoa mais fácil com quem trabalhar. Posso ser volátil e mal-humorado, e demasiadas vezes exprimo as minhas opiniões severamente e sem tacto. Mas nunca fui um predador – nunca."

Relembre-se que, há pouco mais de uma semana, Van Barnes, uma actriz e produtora transgénero, acusou Jeffrey Tambor de ter tido comportamentos impróprios com ela nas rodagens de Transparent quando esta era assistente do actor. Na quinta-feira, Trace Lysette, outra actriz transgénero que apareceu várias vezes na série no papel de uma amiga de Maura, acusou o actor de vários assédios e de uma ocasião em que este a abordou por trás, a impediu de se mexer, e se esfregou contra ela. Isto depois de lhe ter dito que queria "atacá-la sexualmente", algo que aconteceu em frente a Alexandra Billings, outra actriz da série, que confirmou o ocorrido à revista The Hollywood Reporter. Segundo a própria, Lysette reagiu empurrando, rindo-se, revirando os olhos e tentando continuar com a cena. Com medo de represálias na sua carreira, não divulgou o sucedido até agora, a meio da recente onda de revelações sobre assédio e abuso sexual que têm acontecido em Hollywood desde que, em Outubro, Harvey Weinstein foi acusado.

O medo das represálias é redobrado no caso de actrizes como Lysette. Afinal, poucas ou nenhumas séries e filmes empregam tantas pessoas transgénero quanto Transparent, seja atrás ou em frente das câmaras, e a prática de homens cisgénero (que se identificam com o género que lhes foi atribuído à nascença) fazerem papéis de mulheres transgénero continua a ser corrente. O próprio Tambor, que se descreve a ele próprio como aliado da comunidade transgénero, disse, no seu discurso quando ganhou um Emmy em 2016 pelo papel de Maura, que esperava ser o último caso de um homem cisgénero a fazer de mulher transgénero.

Lysette, uma das acusadoras de Tambor, disse à Variety que esperava que a Amazon aproveitasse a saída de Tambor para "recentrar as personagens transgénero" na narrativa da série. É que Transparent, que ajudou a trazer as questões transgénero para o mainstream, tem-se tem focado não só em Maura, mas também na exploração das expressões de género e de sexualidade da família Pfefferman. Segundo uma notícia do The Hollywood Reporter publicada na sexta-feira, antes da decisão de Tambor ter sido tornada pública, Jill Soloway, que criou a série, estaria a pensar matar a personagem. Este domingo, num painel festival do Vulture, o site da revista New York, Jill Soloway disse que ainda não podia comentar as alegações por haver uma investigação em curso.

A quinta temporada de Transparent já começou a ser produzida, com estreia prevista para 2018, mas, com ou sem Tambor no elenco, a série ainda poderá ser cancelada. Em Portugal, a quarta época está a ser transmitida no TVSéries, que passa os episódios antes de estes chegarem à Amazon Prime no nosso território, desde o final de Setembro. 

Transparent não é a única série notável na qual Tambor esteve envolvido, muito menos a única com uma quinta época prestes a acontecer. A produção da próxima temporada de Arrested Development (que em Portugal se chamou De Mal A Pior), a série cómica em que Tambor faz de George Bluth (e do seu gémeo Oscar), está acabada e a estreia no Netflix continua a estar prevista para 2018.