Sismo

Frida, a improvável heroína canina que ajudou o México

Fotografia: Reuters
Fotogaleria
Fotografia: Reuters

Tem um visor a proteger os olhos do fumo, pó e outras substâncias, botas especiais para envolver as patas e um colete identificativo de "trabalhadora" da Marinha. Frida, uma cadela labrador de sete anos, é uma heroína improvável no sismo que no passado dia 19 de Setembro fez o México tremer e vitimou cerca de 200 pessoas — e um número não contabilizado de animais, que muitos procuraram através do Twitter. "A sua ajuda valiosa e amor pelo ser humano fazem com que dê o seu máximo para salvar vidas", escreveu a Marinha no Twitter, onde a mensagem foi partilhada mais de 35 mil vezes. Segundo a Marinha, Frida ajudou a resgatar 12 pessoas em Juchitán, Oaxaca, o local mais afectado pelo sismo. Mas a ajuda da labrador já chegou noutras alturas a várias geografias, como Honduras, Guatemala ou Equador — ao todo, dizem dados oficiais, terá participado no resgate de 56 pessoas. A Marinha mexicana tem cerca de duas dezenas de animais de resgate. Mas Frida é, de facto, especial. Tanto que até já recebeu homenagens de ilustradores como Garabu Gus, em Pictoline.

Fotografia: Reuters
Fotografia: Reuters
Fotografia: Reuters
Fotografia: Reuters
Fotografia: Reuters
Fotografia: Reuters
Fotografia: Reuters