Fotogaleria
Para já estão disponíveis quatro t-shirts Le Mot
Fotogaleria
Le Mot
Fotogaleria
Le Mot

Para Susana, todas as t-shirts eram “comme ci, comme ça” — fez novas

Susana Santos estampa o "je ne sais quoi" parisiense nas t-shirts unissexo da Le Mot, a marca que criou depois de viver seis anos na capital francesa (e de perceber que tudo soa mais sexy nessa língua)

Susana Santos saiu de Lisboa em Janeiro de 2010 para fazer um mestrado em Marketing e Comunicação em Moda na ESMOD, em Paris. A partir daí, a sua vida transformou-se numa sequela d’O Diabo Veste Prada. Primeiro, houve o estágio num dos escritórios da Vogue norte-americana. Depois veio um trabalho de curta duração no departamento comercial da marca de alta-costura Jean-Paul Gaultier e, por fim, mais quatro anos de trabalho na casa Nina Ricci. 

Acabou por viver seis anos na capital francesa antes das saudades a fazerem regressar a Lisboa, em Dezembro de 2015. Quando voltou, arranjou emprego numa agência de comunicação, mas passado algum tempo a trabalhar longe da moda, apercebeu-se que não lhe bastava — afinal, fazia-lhe “falta o je ne sais quoi parisiense”. E, por outro lado, já várias vezes se tinha deparado com uma (gravíssima) necessidade: t-shirts básicas de boa qualidade com “frases divertidas que combinassem com tudo”, confessa ao P3.

Foi por isso que em Março criou a Le Mot, uma marca de t-shirts unissexo, inspirada no estilo urbano contemporâneo. Em cada t-shirt pode ler-se uma das expressões favoritas da “lista gigante” que Susana tem. Em francês, claro, "porque tudo soa mais sexy”. E porque em inglês já há em em todas as lojas.

PÚBLICO -
Foto
Le Mot

Sonhadas em Paris, mas produzidas em Portugal (uma condição desde o primeiro momento), as t-shirts são feitas de malha de algodão. Neste momento, há quatro frases disponíveis: oh là là, comme ci, comme ça, je ne sais quoi e joie de vivre. Crème de la crème e c'est la vie, expressões conhecidas até por "quem não fala francês", foram as escolhidas para a primeira colecção. As próximas ainda estão no segredo dos deuses (todas as semanas, diz, recebe pelo menos um pedido diferente), mas a designer está inclinada para desolée, uma escolha pessoal, ou a sarcástica je m'en fous.

E no Inverno, quando já não se pode usar manga curta? Susana está a considerar produzir uma sweatshirt para os meses mais frios, embora não esconda o desejo de ir aumentado a colecção, peça a peça. O sonho, ainda sem prazo, seria criar a sua própria linha de roupa, mas isso, ressalva, “é muito ambicioso para quem tem outro trabalho”.

As t-shirts podem ser compradas no site por 38,50 euros ou na loja Fio D’Água, em Lisboa. Ideais para quem quer "as palavras onde elas pertencem, perto do coração”. E para quem acredita que, afinal, terá sempre Paris.