Mulher desaparecida em Grândola foi encontrada com vida na casa do ex-companheiro

A vítima estava a ser asfixiada pelo homem quando a Polícia Judiciária entrou na habitação. Quando equipa do INEM a assistiu no local encontrava-se em estado crítico.

A Polícia Judiciária foi alertada na segunda-feira para o desaparecimento desta mulher e do respectivo ex-companheiro
Foto
A Polícia Judiciária foi alertada na segunda-feira para o desaparecimento desta mulher e do respectivo ex-companheiro fabio augusto

Uma mulher de 37 anos que estava desaparecida desde domingo foi encontrada em casa do ex-companheiro, em Grândola, na manhã desta sexta-feira. O homem, de 39 anos, estava a tentar asfixiá-la com uma abraçadeira de plástico quando as autoridades entraram, detendo o homem de imediato. Quando a equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) assistiu a vítima no local o seu estado era crítico.

Para chegar à vítima, a Polícia Judiciária teve que arrombar três portas, que estavam trancadas por dentro e bloqueadas com móveis.

A mulher foi encontrada com vida, “mas já estava mal”, refere fonte da PJ, que adianta que nesta sexta-feira continuam a ser realizadas diligências para reconstituir o percurso que terá sido feito pelo suspeito nos últimos dias. O homem, condutor de um reboque, tinha sido condenado e preso havia uns anos por ter abusado sexualmente de uma menina de 14 anos, que era sua enteada.

A vítima, que mantinha uma relação com o suspeito havia cerca de um ano, terá posto fim ao relacionamento há cerca de um mês. Nessa altura, a mulher apresentou uma queixa à GNR por violência doméstica. Depois de ter sido notificado, o ex-companheiro continuou a perseguir a vítima, tendo enviado mensagens com ameaças.

Na investigação deste caso a PJ teve um especial cuidado porque tinha consciência que a sua actuação podia precipitar uma reacção negativa por parte do suspeito, o que acabou por acontecer quando este se apercebeu da presença das autoridades na sua casa. "Quando entrámos ele estava claramente a tentar assassinar a ex-companheira", afirma fonte da PJ. A situação culminou na detenção do homem, que deverá ser apresentado amanhã a um juiz de instrução.

A mulher foi transportada para o hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde chegou com sinais de estrangulamento e diversos traumatismos. O INEM recebeu o alerta às 7h15, tendo accionado de imediato a Viatura Médica de Emergência e Reanimação que se encontra no hospital de Santiago do Cacém. "Quando a equipa médica chegou ao local a vítima encontrava-se em estado crítico. Apresentava ferimentos graves na região do tórax", precisa João Marques, do INEM. Face à necessidade de transportar a mulher para o hospital de Santa Maria, em Lisboa, tentou-se accionar um helicóptero. Mas a falta de condições atmosféricas junto ao local onde se encontrava a vítima impediram o transporte. "A senhora foi encaminhada de ambulância, acompanhada pela equipa médica, para o Santa Maria", acrescenta João Marques.  

Contactado pelo PÚBLICO, o assessor de imprensa do hospital de Santa Maria afirmou que a unidade não dará informações sobre este caso, remetendo os esclarecimentos para as autoridades judiciais.

A casa onde decorreu a detenção já estava sob vigilância das autoridades, acreditando a PJ que o suspeito regressou à habitação nesta madrugada. “Entrámos em casa do suspeito por volta das 7h, numa operação musculada”, descreveu fonte da PJ.

A PJ foi alertada na segunda-feira para o desaparecimento desta mulher, residente na zona de Grândola, distrito de Setúbal, e do seu ex-companheiro. As autoridades acreditaram desde logo que os dois desaparecimentos estariam relacionados. O carro onde a mulher seguia foi encontrado com uma janela partida em Grândola. A PJ tenta ainda localizar um veículo roubado no domingo de um parque estacionamento onde o suspeito costumava parar o reboque, viatura esta que era suposto o alegado raptor transportar. Os inspectores admitem que o carro tenha sido roubado pelo suspeito, mas ainda não têm provas disso. Com Lusa