De cães abandonados a modelos à espera de adopção

Alfa e Beta
Fotogaleria
Alfa e Beta

Daisy, Nick, Lila, Amélie e Ruca. Estes cinco cães não são jovens, são “rafeiros” sem pedigree e até podem não obedecer a todos os estereótipos de beleza. São também muito diferentes uns dos outros, mas têm algo em comum: todos estão à procura de um lar. E não são os únicos. O Golden era um destes animais, mas foi encontrado por Neuza Teixeira e João Fernandes há um ano e meio. Ninguém sabe ao certo a sua idade, mas rapidamente se tornou um fenómeno das redes sociais. Depois da adopção, os jovens bracarenses começaram por publicar nas páginas de Facebook pessoais algumas fotografias de Golden, mas o sucesso junto de amigos e desconhecidos levou-os a criar uma página onde partilham diariamente o dia-a-dia do amigo de quatro patas. A página Golden Days já soma mais de 18 mil seguidores e as publicações, através de desabafos do próprio cão, abordam a discriminação animal, muitas vezes, relacionada com as razões que levaram o casal a “adoptar um cão velho quando podiam salvar outros mais jovens e mais bonitos”. Neuza e João nunca se arrependeram da decisão que tomaram no dia em que visitaram o canil de Braga. “Adoptar o Golden, o velhote, doente e sem raça que foi deixado no canil pelo antigo dono, foi a melhor coisa que nos aconteceu”, diz Neuza Teixeira. O Golden não era o único sem uma família. “Quando tiramos o Golden do canil percebemos que havia muitos outros. Todos os anos são abandonados cerca de 30 mil animais em Portugal e a maior parte nunca chega a ter um lar”, explica a gestora de Marketing. Desde então, os dois jovens tentam promover a adopção nas redes sociais. O sucesso do Golden, aliado a esta preocupação com os patudos, fez também questionar o porquê de “as marcas e lojas para animais de estimação apresentarem quase sempre animais jovens e com pedigree”, em vez de cães como o Golden. Foi assim que surgiu a ideia de criar uma loja diferente a pensar em todos os animais, independentemente da sua raça ou idade. Na My Golden Pet podem comprar-se acessórios — fabricados e inspirados nos símbolos de Portugal, como a cortiça e os azulejos, e outros encontrados em vários pontos do mundo — e também adoptar companheiros de quatro patas. Estes são os modelos desta loja de acessórios para animais. Segundo a fundadora da plataforma online, o maior desafio é “fazer com que os cães abandonados — muitos deles, vítimas de maus tratos pelas suas antigas famílias — se deixem fotografar por desconhecidos”. O conceito é recente e não existem muitos “cães modelo”, mas a iniciativa já começou a dar frutos. Prada foi adoptada por uma família cerca de uma semana depois do lançamento da loja. O objectivo passa agora por aumentar o número de animais para adopção e também as adopções, bem como o número de vendas de produtos. Na My Golden Pet, 5% do valor dos artigos vendidos da marca própria podem ser convertidos em ração, castração ou cuidados veterinários a favor da Associação para a Defesa dos Animais e Ambiente de Vila Verde. Neuza e João acreditam que podem fazer a diferença e tornar a sua ideia um exemplo para outras lojas. Missão: “Salvar um cão abandonado e sem amor”.

Amélie
Daisy
Golden
Alfa