Jason Devaun/Flickr
Foto
Jason Devaun/Flickr

Megafone

Eventos de videojogos em Portugal

É surpreendente como temos tido aceso a tantos eventos nos últimos anos. Já não somos somente uns jovens perdidos num quarto a teclar no seu pequeno computador

Eventos de videojogos em Portugal costumavam ser uma espécie de miragem. Escrevo no passado porque hoje estamos numa situação completamente diferente.

Nos anos 80 e 90, o pouco que tínhamos cá em Portugal era mais relacionado com a tecnologia ou o universo académico, e evidentemente, possuía pouca expressão. Nas revistas da especialidade liam-se as reportagens sobre a CES (EUA), ECTS (Londres), e claro, a E3 (EUA). Mas em Portugal não tínhamos equivalentes. Felizmente a situação mudou.

Com o aparecimento massivo da Internet nos últimos anos, a organização de comunidades tem sido facilitada e, como resultado, muitos eventos de videojogos têm surgido. Locais onde anualmente, ou quase mensalmente, os interessados se juntam para debater, competir, ou simplesmente socializar. Talvez dos primeiros grandes eventos de grande destaque tenha sido a XL Party e em pouco tempo outros juntaram-se. Temos neste momento o anual “Videojogos” vindo da comunidade académica; nos Açores surgiu o Horta Lan Party, juntamente com o Nerd Alert; mais recentemente da Microsoft, o Game Dev Camp e em Novembro vamos ter o Lisboa Games Week. Também temos outros que embora focados principalmente noutras temáticas, tem tendencialmente cada vez mais espaços dedicados aos videojogos. Tais são os casos do Iberanime, Midori, AniFest e TuFazes. Alternadamente aparecem eventos esporádicos um pouco por todo por o país, normalmente realizados em bares temáticos de videojogos (1UP, Spawn Point) ou em lojas especializadas, como a PressPlay.

É surpreendente como temos tido aceso a tantos eventos nos últimos anos. Já não somos somente uns jovens perdidos num quarto a teclar no seu pequeno computador, ou a suspirar pelo crescimento dos videojogos em Portugal. Finalmente, estamos em ascensão.

Evidentemente ainda não temos um “grande evento de videojogos”, equiparável aos colossais da E3, Tokyo Game Show, ou, Gamescom. No entanto, já existe algo que representa a nossa dimensão, e se calhar, isto é só o começo, mais e melhores ainda estão para vir. Uma coisa é certa, a indústria dos videojogos em Portugal está a crescer, e o surgimento destes eventos é só mais um exemplo.