Pinto da Costa e o clássico: "Arbitragem vergonhosa"

O presidente portista aponta o dedo ao árbitro Artur Soares Dias, culpando-o pelo atraso de três pontos em relação ao Benfica e dizendo que não tem condições para apitar mais jogos dos "dragões".

Pinto da Costa foi muito crítico com o árbitro Artur Soares Dias
Foto
Pinto da Costa foi muito crítico com o árbitro Artur Soares Dias Fernando Veludo/NFactos

Pinto da Costa explicou nesta quinta-feira a razão de o FC Porto estar com três pontos de atraso em relação ao líder do campeonato, Benfica. Na opinião do presidente portista a culpa deve-se à arbitragem de Artur Soares Dias no clássico de domingo, com as "águias", que qualificou de "vergonhosa".

"O atraso de três pontos [face ao Benfica] deve-se a uma arbitragem vergonhosa, escandalosa. Curiosamente, de passagem, os jornais disseram que o lance do Jackson era rídiculo, que houve dois penáltis não assinalados, mas ninguém falou mais disso. Se fosse ao contrário, Deus me livre…", afirmou, em declarações ao Porto Canal.

Pinto da Costa não poupou as críticas a Artur Soares Dias e, embora tenha garantido que não acredite que o portuense seja desonesto, não quer mais Soares Dias nos jogos dos "azuis e brancos" .

"Tentaram branquear uma arbitragem inacreditável. Aquele lance do Jackson é ridículo. Isto é um descaramento. Um árbitro que faz isto e depois não assinala dois penáltis, o senhor Soares Dias não tem condições para arbitrar. Se é honesto, não pode apitar e não tem competência para isso. Não se pode dar estes jogos a árbitros que não têm condições psicológicas para estes momentos", declarou antes de sentenciar: "Artur Soares Dias não pode arbitrar mais jogos do FC Porto."

Referência a Calabote
As críticas de Pinto da Costa às arbitragens não se ficam pelo jogo da Luz. O líder portista referiu também o desempenho do juiz da partida que os "dragões" realizaram na Amoreira, frente ao Estoril, e que empataram a dois golos.

"As pessoas esquecem-se que a perda de cinco pontos de avanço começou no Estoril, com uma arbitragem inacreditável de Rui Silva. Estivemos duas vezes em vantagem. Sofremos o empate com uma grande penalidade inventada. Voltámos a ter vantagem mas depois sofremos um golo em fora de jogo. São dois pontos que perdemos com uma arbitragem que me fez lembrar Inocêncio Calabote. Não me lembro de uma arbitragem que tenha influenciado tanto o resultado de um jogo", acrescentou.

Renovava com Paulo Fonseca
Pinto da Costa afastou ainda quaisquer rumores sobre uma possível saída de Paulo Fonseca.

"Se a época acabasse hoje, ontem tinha renovado com o Paulo Fonseca. Nem é preciso dizer mais nada. Se eu entendesse que ele não era o treinador de que o FC Porto precisa era o primeiro a falar com ele", declarou o líder portista.

E explicou as razões que o levam a ter confiança no técnico e a relativizar os desaires já registados nesta temporada: "É verdade que não nos apurámos na Liga dos Campeões, mas lembra-se de algum jogo que se perca a atirar quatro bolas ao poste? Tivemos factos que nos condicionaram e não ajudaram a que pudéssemos seguir em frente. É culpa do treinador que se atirem quatro bolas ao poste? É culpa do treinador que um jogador seja expulso aos 5 minutos?", disse, numa referência à expulsão de Herrera, contra o Zenit, em casa.

Críticas a Fernando Gomes e à Liga
Na mesma entrevista, o presidente do FC Porto acusou Fernando Gomes, da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), de ter “matado” da Liga de clubes, da qual o actual líder, Mário Figueiredo, é apenas “o coveiro”.

“Não foi ele [Mário Figueiredo] que matou a Liga. A Liga morreu e ele só a está enterrar, pois quem a matou foi Fernando Gomes, que conseguiu alterar, com os clubes da segunda divisão, os estatutos da instituição”.

“É absurdo. No executivo da associação que os clubes criaram não há presidentes de futebol, só há advogados”, referiu Pinto da Costa, a propósito do momento de elevada contestação de que está a ser alvo o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional.

Para Pinto da Costa, “quem sabe o que é preciso fazer no futebol são os presidentes, não são os advogados. É o mesmo que ter advogados na Ordem dos médicos ou dos engenheiros”.

“Fernando Gomes acaba por ser o grande beneficiado com tudo isto, pois os patrocinadores fogem todos para a federação, porque a FPF tem o Ronaldo e tem a melhor indústria do mundo, em que a matéria-prima é paga pelos clubes e as receitas são todas para ela”, frisou o presidente do FC Porto.

Segundo o dirigente portista, “tudo isso afastou os clubes e gerou este movimento do qual Mário Figueiredo, apesar das suas próprias responsabilidades, acaba por ser vítima”.

“Fernando Gomes tem contribuído para o desprestígio da Liga e a FPF vai aumentando os milhões que tem em depósitos a prazo”, acusou.

Na entrevista ao Porto Canal, o líder dos “dragões” considerou ainda que “seria uma tremenda injustiça” que Cristiano Ronaldo não fosse considerado o melhor jogador do mundo em 2013.

E concluiu revelando o quanto ficou “sensibilizado” com o facto de a filha de Eusébio o ter procurado no Estádio da Luz, no domingo, para lhe agradecer as palavras que dedicou ao “pantera negra” aquando do seu falecimento.

“Naqueles dias, fiquei muito satisfeito por saber que houve um enorme reconhecimento público pelo Eusébio. Só me chocou ver o aproveitamento das pessoas que sempre gravitaram e sugaram o Eusébio em vida, fazendo livros, revistas e programas à custa dele”, concluiu.